Dois anos de amor


Nem parece, mas essa semana completaram-se dois anos desde que adotamos a Belinha. 
Adotar não é o termo certo, essa belezinha foi achada na rua por uma colega de trabalho da minha mãe que, por já ter outros cachorros, não pode ficar com ela e ofereceu para minha mãe, que aceitou pois sabia que desde meus seis anos de idade venho pedindo por um cachorro.
Meu cunhado levou minha mãe até a casa dessa amiga para busca-la e, quando cheguei da escola, lá estava Belinha - ainda sem nome definitivo - andando pelo quintal. De primeira me senti um pouco tímida em sair brincar com ela, mas logo consegui "me soltar". Minha mãe disse que sua amiga a chamava de "Pitucha", mas nós não gostamos desse nome e decidimos mudar para Belinha. 
Em seu primeiro dia por aqui ela não latiu, o que fez com que nos preocupássemos um pouco, chegando até mesmo a achar que ela era muda. Em compensação hoje ela não cala a boca.
Peço que você permaneça conosco por muito tempo, na verdade, te imploro, já que és uma das poucas "coisas" que conseguem me fazer feliz, não me abandone pois eu nunca teria coragem de te abandonar. Belinha, minha princesa mais linda, eu te amo! 

Veja também

0 comentários