Resenha: O Caçador e a Rainha de Gelo (2016)


O Caçador e a Rainha de Gelo foi a grande estreia cinematográfica dessa semana. O filme é a prequela/sequência de Branca de Neve e o Caçador (2012), com a diferença de que... não tem Branca de Neve nenhuma nesse filme. É? Pois é. Kristen Stewart (Bella, Crepúsculo) foi barrada deste longa após seu affair com o diretor. De qualquer modo, com Chris Hemsworth (eterno Thor, lindo) no papel principal dá pra relevar todo esse caso. 

A primeira vista pode parecer estranho não ter a principal integrante deste universo na trama, mas acredite, não faz falta. O foco é totalmente dado ao casal Erik e Sara e os desamores das rainhas-irmãs Ravenna e Freya: é treta!

Após um trauma (e que trauma!!!), os  poderes de gelo são despertados na irmã boazinha, aí começa o momento mais Frozen de todo filme, construindo seu próprio reino e tornando-se a mais nova desagradável do rolê. Freya is the new Elsa, só faltou começar a tocar Let it Go.


Crianças são capturadas para serem treinadas e posteriormente fazerem parte do exército da Rainha de Gelo, onde seu reino há apenas uma lei: O amor é proibido. Como sabemos que nem tudo são flores e que o clichê é forte, os dois melhores soldados apaixonam-se e começa a rebelião. A partir daí o filme começa a ficar nervoso e é melhor eu me calar. 

Podemos não ter a menina que é branca como a neve, mas o maldito espelho continua firme e forte para encher nossos protagonistas de dor de cabeça, tendo de mantê-lo longe das mãos erradas. Ainda assim, o melhor presente que esta história toda nos dá é a presença dos anões, que mostraram-se os mais divertidos, rudes e até mesmo amáveis, além de extremamente fiéis. Boa parte das risadas foram causadas por eles, amém?


Vale destacar também que a trilha sonora é maravilhosa. Não sou lá a melhor crítica quando se fala de música (por ter um gosto extremamente variado e desnorteado), mas é inegável o quanto as canções escolhidas para este longa conseguiram marcar seu território.

Apesar de não ter assistido ao primeiro filme - e não fazer a menor questão disso -, assino que vale a pena conferir este. Não, não é aquele longa que você precisa correr ao cinema para assistir, mas que, com certeza, também não será perda de tempo ou dinheiro. Recomendo principalmente aos fãs de contos de fadas para mais uma desconstrução do "mundo perfeito".

Para finilizar, algumas imagens do filme com suas respectivas e acuradas legendas:

Titanic dos reinos encantados

O Caçador e os Dois Anões, fica a ideia para o próximo filme

 Anna e Elsa versão 2016

Katniss?

Veja também

0 comentários