Polícia de Busan toma iniciativa criativa contra pornografia ilegal

by - novembro 05, 2017


A polícia de Busan tomou uma decisão pró-ativa de prevenção a distribuição e download de vídeos pornográficos ilegais feitos por câmeras espiãs. A iniciativa "Stop DownloadKill" apresenta 170 vídeos falsos de câmeras espiãs criados pela própria polícia de Busan, sob títulos como "motel", "vestiário", "banheiro" e "metrô" que foram compartilhados em 23 sites de compartilhamento de arquivos entre os dias 17 e 30 de outubro, que foram assistidos pelo menos 26 mil vezes em apenas 2 semanas.

Um dos vídeos apresenta uma mulher de costas, trocando de roupa, que, de repente, se transforma em um fantasma e olha para a câmera. Na legenda, "ao assistir a mulheres gravadas por câmeras espiãs, você poderia ser aquele que a levaria ao suicídio", considerando as vítimas de vídeos vazados que, por vezes, chegam a interromper a própria vida pela pressão. A mensagem que aparece em seguida informa ao espectador que a polícia está monitorando o site.


Citando um aumento de 545% em crimes relacionados a câmeras espiãs nos últimos 8 anos, o projeto tenta reduzir a distribuição e audiência de tais vídeos. Após a iniciativa, a polícia declarou que o número da publicação de vídeos de câmeras espiãs e relacionados em sites de compartilhamento de arquivos diminuiu em até 11%.

"Nós vemos o problema dos videos de câmeras espiãs não como um crime limitado a indivíduos, mas como um que tem a ver com demanda e distribuição. Começamos o projeto para despertar os aspirantes a telespectadores para a autoconsciência", diz Jo Hyun Bae, diretor da estação de polícia de Busan.

Na Coreia do Sul, existem leis em vigor para processar fabricantes e distribuidores de vídeos de espionagem pornográfica, mas nenhum para processar ou punir os espectadores. O projeto criativo da polícia de Busan pode ser assistido abaixo:


Fonte: Koreaboo

Veja também:

4 comentários

  1. Fiquei feliz com a ação. É bem bobinha mas pode diminuir de verdade o consumo, principalmente da população mais jovem que ainda está se descobrindo. Tratar isso como algo errado pode ajudar demais as mulheres.
    Gostei do post <3

    Carol Justo | Pink is not Rose

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma ação bem simples como um vídeo "click-bait" seguido de um anúncio do tipo "estamos de olho em você" conseguiu diminuir consideravelmente a prática ilegal por lá. É uma vitória! Ainda há muito que precisa ser feito, mas começar com iniciativas, mesmo que pequenas, já é um grande passo.

      Excluir
  2. Ótima campanha. E obrigado por compartilhar isso conosco, até porque aqui no Brasil existe uma enorme cultura de nudes vazados, principalmente (acredito eu) por vingança de ex-namorados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Alessandro. Seria muito interessante as autoridades de nosso país criarem alguma campanha como essa, mas ao mesmo tempo imagino que acabaria virando motivo de piada, já que o assunto de pornografia e vazamento de nudes não é levado com a devida seriedade por aqui. Mas alguma coisa precisa ser feita para mudar essa triste realidade, não só no Brasil, mas em todo o mundo.

      Excluir