Because This is My First Life fala com maturidade sobre relacionamentos na casa dos 30

by - dezembro 07, 2017


Transmitido pela tvN entre outubro e novembro de 2017, Because This is My First Life conquistou o público por sua maturidade, apresentando diferentes formatos de relacionamentos amorosos e casamentos entre personagens na faixa dos 30 anos de maneira simples e realista, com ênfase nas dificuldades e complicações, mas mirando sempre no "final feliz". 

Sinopse: Nam Sehee é um homem solteiro no início dos 30 anos que escolheu não se casar. Ele possui sua casa, mas ele deve muito à hipoteca. Yoon Jiho é uma roteirista solteira no início dos 30 anos que não possui uma casa e inveja aqueles que têm. Ela desistiu de namorar devido a suas lutas financeiras. Yoon Jiho começa a viver na casa de Nam Sehee.


Seu enredo aborda uma série de problemáticas logo nos três casais principais da trama, como o casamento contratual, o típico cara rico que se apaixona pela mulher pobre e as complicações de um relacionamento de longa data, entretanto, tratando-se de adultos, os caminhos para as soluções são muito mais complexos do que um drama teen poderia apresentar.

Pode-se dizer também que este drama revoluciona a indústria ao apresentar assuntos pouco discutidos na televisão coreana, como abuso sexual no trabalho, estereótipos de gênero e a definição tradicional de casamento. Este último é quebrado em diversas fases por Sehee e Jiho, desde o motivo que os levou à união ao modo como lidam com a vida de casados, que vem recheada de regras e costumes antiquados que, nem sempre, agradam ao casal protagonista.


Mostra ainda mesmo um casal que se uniu sem amor, apenas pela facilidade para pagar o aluguel, também pode vivenciar momentos alegres como o simples compartilhar de uma cerveja ao assistir a um jogo de futebol na televisão e que detalhes como este podem despertar sentimentos que jamais poderiam imaginar - mas nada que a pequena Gatinha não tenha percebido muito antes de seus donos.

O modo como sentimentos não só românticos, mas a própria empatia, desenvolvem-se dentro da situação contratual que deveria manter-se apenas como senhorio-inquilina diz muito sobre o ser-humano e suas habilidades sociais indômitas: não há de tentar esquivar-se do amor, o convívio com os da mesma espécie fará todo o trabalho independente de sua vontade.


Já para o casal secundário, formado por Horang e Wonseok, o casamento aparece como o destruidor de seu relacionamento. Namorados há sete anos, a garota que sempre sonhou em casar-se, ser mãe e dona de casa vê-se perdida em um relacionamento que não aparenta ir para frente: embora Wonseok a ame e já morem juntos, ainda não está preparado para assinar os papéis de um casório, afinal, o que é casar-se?

Demonstrará no drama, de forma realista, as dificuldades quando dois amados não encontram-se no mesmo ponto e os obstáculos a serem (ou não) superados a fim de reencontrar o equilíbrio da relação antes que o amor se perca. "Quando um não quer, dois não brigam", diria o ditado, mas tudo precisa ser discutido em um relacionamento, contanto que com responsabilidade e sensatez por ambas as partes.


Outros amigos conectados às duplas românticas são Sang Goo, dono de uma empresa de tecnologia que produz um aplicativo de namoro on-line, e Su Ji, uma funcionária vítima de sexismo que, por motivos próprios, não deseja casar-se ou relacionar-se amorosamente com ninguém. Mesmo com as diferenças, seus caminhos se cruzam e aprenderão muito um sobre o outro, mas principalmente sobre si mesmos.

Aprender sobre si mesmo é, de longe, uma das principais mensagens intrínsecas neste drama, pois precisamos nos conhecermos antes de podermos nos envolver com outras pessoas, a fim de melhores interações sociais, a base de qualquer relacionamento. Assim, ao longo dos episódios, cada personagem passará por um amadurecimento pessoal regado a descobertas que lhes cobrarão muita maturidade para poder superar.


Lidar com um beijo roubado de um desconhecido logo no primeiro episódio não é algo que telespectadores de kdramas estão acostumados a fazer, logo, a maturidade também é cobrada de quem assiste. Não se trata de um drama comum, com um enredo comum e personagens comuns, é preciso ter os olhos abertos compreender para as reviravoltas da trama sem mal-julgar aqueles que a vivenciaram. Pode, portanto, ser um drama que caia mais no gosto de fãs mais velhos, mas nem por isso deixa de ser recomendado a adolescentes: aprende-se um pouco sobre nem tudo ser flores.

Because This is My First Life, mais comprometido com os acontecimentos pós-casamento e de relacionamentos de longa duração, compara-se ainda a Go Back Couple, transmitido na mesma época e que apresenta base semelhante. Ambos dramas apresentaram bom desenvolvimento da história sem se perder em pormenores desnecessários, mas também sem deixar de abordar com a devida profundidade problemáticas importantes para a construção dos personagens e de suas respectivas conclusões.


Foi estrelado por Lee Min Ki, que trabalhou em dramas como I Really Really Like You (2006), Evasive Inquiry Agency (2007) e Shut Up: Flower Boy Band (2012) e Jung So Min, que atuou como Oh Ha Ni em Playful Kiss (2010) e fez outros dramas como Big Man (2014), D-Day (2015) e The Sound of Your Heart (2016). Destaques ainda para Lee Som, Park Byung Eum, Kim Ga Eun e Kim Min Suk, atores que formam o time secundário. 

Eles, além de serem os amigos de maior apoio aos protagonistas, são principalmente personagens que carregam histórias profundas e personalidades fortes, únicas e em constante evolução, transformando-se em figuras que vão muito além do humor cômico que marca os coadjuvantes da maioria dos dramas românticos ou apenas peças para completarem o quebra-cabeça dos protagonistas: eles são donos da própria história e deixam sua marca no drama por serem quem são, e não por serem os amigos do(a) principal.


Há ainda personagens com menos destaque, como Booknam e Jungmin, responsáveis por criar a trama dos triângulos amorosos pois, para um drama coreano, não basta as desgraças da própria vida do casal, ainda é preciso colocar mais uma pessoa na história para provocar climão, ciúmes e semancol. Bomi, interpretada pela cantora de mesmo nome, membro do grupo feminino de k-pop Apink, ganha peso por ser ainda a terceira participante de um casal secundário, acrescentando ainda mais profundidade nos que estão de fora do protagonismo de Because This is My First Life.

Com roteiro por Yoon Nan Joong, mesma escritora de Flower Boy Ramen Shop (2011), The Queen of Office (2013) e Ho Goo's Love (2015), e concluído em 16 episódios, você pode conferir as três histórias de amor não-convencionais mas simultaneamente realistas de Because This is My First Life com legendas em português pelo Viki ou pelo fórum do Kingdom Fansubs.

Veja também:

2 comentários

  1. Ho Goo's love é um dos meus doramas preferidos, apesar de achar que poderia ter desenvolvido melhor algumas coisas e, principalmente, o final. Saber que é a mesma escritora de Because This Is My First Life é me deixou surpresa, ambos muito bons.

    ResponderExcluir
  2. Oii, um tempão sem vir aqui
    Es tenho visto muito esse drama no Viki, eu estou vendo um lá admito que ele chamou minha atenção, mas achei que era algo mais teen e mais comum, ai meio que desdenhei dele, porém vou jaja colocar ele na minha listinha pra ver.
    bjs

    ResponderExcluir