Os inúmeros problemas em A Korean Odyssey

by - janeiro 05, 2018


O  novo drama da tvN, A Korean Odyssey (화유기), teve seu primeiro episódio originalmente transmitido no dia 23 de dezembro e já é sucesso de audiência na Coreia do Sul, mas isso não significa que tudo esteja fluindo perfeitamente bem para a produção.  

Em 2017, Son Ohgong e o rei Wooma estão em um grande conflito em busca de luz em um mundo repleto de males. Ohgong conhece uma pequena garotinha, Jin Sun Mi, que possui a habilidade de ver fantasmas, mas deseja livrar-se dela pelo incômodo e a fama de ser esquisita. Fazem, então, um contrato em que ele jura protegê-la, mas as coisas não saem muito bem como o esperado para a menina e eles se reencontram após 25 anos.

Baseada na novela clássica Journey to the West, de Xi You Ji, é uma nova série do Studio Dragon, que trabalhou recentemente em Goblin, parece não estar dando muita sorte com sua nova produção que, durante a exibição de seu segundo episódio, cometeu um dos maiores erros da história da televisão coreana, transmitindo-o sem a finalização de efeitos especiais, com cabos e telas verdes a mostra, isso sem contar os atrasos e interrupções que levaram a emissora a se desculpar e re-exibir o episódio, desta vez concertado, no dia seguinte.

Netflix/Divulgação
Não bastasse, o programa enfrentou ainda um grave acidente durante a sua gravação, com um membro da equipe sofrendo uma queda de mais de três metros de altura e se machucando gravemente. O funcionário teve sua coluna vertebral e osso pélvico quebrados, transferido inconsciente para o hospital, onde recobrou-a posteriormente. Os médicos dizem que há a possibilidade dos danos serem permanentes, causando paralisia parcial no trabalhador. 

Com a polícia investigando a empresa por negligência profissional, os episódios 3 e 4 que já estão com transmissão adiada há duas semanas poderá não ser exibido nesta semana novamente. O diretor do drama, Park Hong Kyun, já é conhecido por manter cronogramas agitados entre elenco e equipe, o que causa preocupações quanto a qualidade e prazos de entrega de suas obras. 

Entre os muitos problemas de A Korean Odyssey, encontra-se, inclusive, a participação de Lee Seung Gi, que interpreta o protagonista. Ele foi dispensado de seus deveres obrigatórios em 31 de outubro, um mês após o início das gravações do drama, o que é visto pelo crítico local Ha Jae Geun como um otimismo de equipe que levou o drama ao fiasco. 

tvN/Divulgação
Não contente apenas com o atraso nas gravações e edição dos vídeos, o script está sendo escrito enquanto o drama é filmado, com mudanças feitas a todo momento. O caso está preocupando os atores, que não têm tempo suficiente para se preparar para suas cenas e acabam causando erros de continuidade na história.

Se não fosse por tantos problemas, o drama provavelmente já poderia ter sido considerado o melhor do ano, mas talvez ainda dê tempo de salvar todo o potencial que ele possui. Traz uma vibe bem parecida com Goblin (2016-2017) e The Master's Sun (2013), sendo de autoria das mesmas escritoras, as irmãs Hong, com semelhanças válidas tanto para os níveis fantásticos com fantasmas e seres místicos quanto pelo humor que se dá pela personalidade excêntrica de alguns personagens.

A Korean Odyssey também está sendo transmitido mundialmente pela Netflix, que está empenhada em trazer narrativas da televisão coreana para seus assinantes internacionais em sua parceria com a CJ E&M, que já garantiu Prison Playbook e Argon em lançamento simultâneo com o serviço mundial de streaming.

Veja também:

0 comentários