#DesafioLiterárioEditorialHope: Tag dos 13 livros

by - fevereiro 06, 2018


Sem exageros, deve fazer uns bons anos que não respondo a alguma tag no Elfo Livre. Estava perambulando pelo blog da Editora Hope quando me deparei com essa sugestão maravilhosa que consiste em indicar 13 livros, de acordo com temas dados a partir do acróstico de "Editorial Hope". Quais será que eu escolhi?


1. Emoção: Aquele livro que fez você chorar.
Marley & Eu, de John Grogan
Histórias com animais, especialmente cães, sempre são muito emocionantes. Marley & Eu foi uma leitura que eu adiei por muitos anos porque sabia que iria me fazer sofrer, ainda mais por ser baseado em fatos, e estava certa. Foram horas e horas chorando desesperadamente, mas tudo valeu a pena: que livro tocante! Com certeza não me esquecerei dele.

2. Diamante: Aquele livro que é uma verdadeira preciosidade.
A Culpa é das Estrelas, de John Green
Pode ser considerado um clichê, podem falar mal o quanto quiserem, mas A Culpa é das Estrelas é o livro que fez com que eu me apaixonasse de vez pelo universo da literatura. Eu gostava de ler, mas não lia muito. Quando vi os trailers do filme, alguns meses antes de seu lançamento, e o quão popular o livro acabou se tornando graças a isso, corri para pegá-lo emprestado e ler rapidamente. Para quê? Entrei de cabeça no mundo da leitura, para nunca mais sair. Esse valor pessoal torna a obra preciosa para mim.

3. Impressionante: Uma história que surpreendeu.
As Vantagens de Ser Invisível, de Stephen Chbosky
Já era fã do filme, com aquele elenco poderosíssimo de Logan Lerman, Emma Watson e Ezra Miller, e resolvi ler o seu original. Sem arrependimentos. A narrativa em formato de cartas torna a leitura mais leve, menos cansativa, de modo a devorar o livro rapidamente. Esse método é ainda mais pessoal, particular, individualista, sendo totalmente contado pelo personagem principal, com uma intimidade a mais do que um simples livro em primeira pessoa. Você sente como se estivesse recebendo as cartas, e isso é muito mágico. O desfecho, lá pelos últimos textos, foi o que me surpreendeu de vez, mas já estava conquistada por todos os elementos deste romance antes mesmo de iniciar a leitura das primeiras cartas.


4. Tranquilo: Um livro que passe tranquilidade.
Extraordinário, de R. J. Palacio
Não que a história seja livre de problemas, longe disso, mas o protagonismo de Auggie, um garoto de dez anos de idade que nasceu com uma deformidade facial, já passou por 27 cirurgias e começa a frequentar uma escola regular, tendo dificuldades em se encaixar em meio as outras crianças, nos ajuda a enxergar a vida de uma forma muito mais positiva, aprendendo muito com o pequeno personagem principal.

5. Orgulho: Aquele livro com um personagem bem difícil de se lidar. 
Trilogia Maze Runner, de James Dashner
Não consigo lidar com a Teresa. Na verdade, sou contra a CRUEL em um geral, mas principalmente pela Teresa, por ter vivido no labirinto, sentido na pele o quão péssima foi a iniciativa de sua instituição, mas continuar apoiando-a e tentando convencer os outros de que todo o sofrimento valeria a pena. A personalidade dela me irritou e me consumiu ao longo dos livros e dos filmes, me fazendo criar um grande ranço pela personagem - qual não superei até hoje. Não gosto e ponto.

6. Raro: Que nos surpreendeu por um tema diferente.
Allegra Antes do Play, de Andreia Evaristo
Adaptações de contos de fadas clássicos não é inovação nem mesmo no cenário nacional, mas adorei a criatividade dada por Andreia, parceira do blog, em sua abordagem atual de Cinderela, apresentando sua correspondente como uma escritora que vive em cima de desconstrução de padrões e, sem querer, acaba mergulhando no mundo dos youtubers. Mais contemporâneo e diferente que isso? Impossível.


7. Infantil: Um livro para os pequenos.
Saga Harry Potter, por J. K. Rowling
Clássico da literatura britânica, Harry Potter deveria ser uma leitura obrigatória a todos, independente do momento da vida, sendo um livro para os pequenos, para os médios, para os grandes, para todos. Mais do que magia, os livros de Harry Potter nos ensinam valores de coragem, respeito, minorias,  corrupção, amizade, família, superação, estudos e muito outros temas de importância para todas as fases de nossas vidas.

8. Amorzinho: Aquele livro super apaixonante.
Geekerela, por Ashley Poston
"Mais uma releitura de Cinderela, Karol?" sim, mais uma. Geekerela conseguiu misturar os contos de fada ao mundo dos filmes de ficção espacial, duas temáticas que eu amo de paixão, de uma forma que me pegou de jeito e já ser considerado com um dos meus livros preferidos de todos os tempos. Não consegui tirar os olhos das páginas enquanto não terminei de lê-lo, adorando cada encontro das problemáticas do clássico com os elementos do universo geek, me identificando em alguns momentos e desejando horrores que este livro ganhe logo uma versão cinematográfica. 

9. Livre: Um livro livre de romance.
Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll
Raramente leio algo que não envolva pelo menos uma pontinha de romance, já que adoro mergulhar em narrativas amorosas e cheias de frufrus, mas Alice no País das Maravilhas é uma boa exceção, com sua protagonista mirim e sonhadora naquele mundo esquisito com criaturas ainda mais esquisitas chamado subconsciente. Um pouco de fantasia, para variar, é bom e eu adoro.


10. Harmonioso: Um livro que a capa super representa a história.
1984, de George Orwell
Livro cabeça que me deixa reflexiva até hoje, quase dois anos após ter realizado a leitura, por achar muito possível e próxima da nossa realidade os acontecimentos narrados nesse romance de governo autoritário. Gosto muito da capa da edição publicada pela Companhia das Letras, com vários televisores e olhares estampados, representando a questão da vigilância que é muito abordada no enredo. Pensar que estamos sendo constantemente vigiados é aterrorizante, e a capa consegue transparecer essa ideia. 

11. Obsessão: Um livro com um personagem extremamente obcecado.
Tartarugas até lá embaixo, de John Green
Vale TOC? Espero que sim. Este é o mais recente romance de John Green e o li há poucas semanas, adorando o breve contato que tive com a protagonista Aza, que tem Transtorno Obsessivo Compulsivo, com seu pavor de germes e bactérias que podem consumir seus pensamentos e levá-la a morte. Você consegue sentir o sufoco da protagonista por meio da narrativa e entender um pouco mais sobre o que é conviver com uma obsessão, como ela interrompe sua vida e como isso afeta o portador, de um modo que chega a causar nervosismo no leitor. Muito tocante! 

12. Protetor: Um personagem que protege as pessoas a sua volta a todo custo.
O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares, de Ransom Riggs
Queria muito poder encaixar esse livro em algum momento desta tag, e finalmente achei o lugar perfeito. Peregrine, a senhorita do Orfanato, como o próprio nome já entrega, é uma verdadeira protetora a todas as crianças peculiares que mantém em segurança com muito prazer, ainda que com muito esforço também, reiniciando o loop temporal todas as noites, evitando a catástrofe maior. Embora sua fenda seja o porto seguro para todas essas vidas que ali se abrigam, sabemos que ela é a verdadeira personificação de segurança aos moradores do orfanato.


13. Especial: Aquele livro que é seu xodó.
Eleanor & Park, de Rainbow Rowell
Nossa, como eu amo esse livro. Viciada em k-pop e nerd que sou, quando descobri que havia um livro de romance geek com um protagonista coreano, precisei comprar. O amor só cresceu conforme fui lendo a história, sofrendo com Eleanor, amando Park, acompanhando cada passo do casal, seus desafios, suas vitórias, torcendo por eles ao som de The Smiths e com uma HQ de X-MEN ao lado. Pode passar o tempo que for, adicionar vários novos livros a estante, mas este sempre terá um espaço especial no meu coração, totalmente em tons pasteis, como a capa.

Foi muito divertido responder essa tag! Adorei a criatividade de Editora Hope para os tópicos, me fez pensar um pouquinho para conseguir encaixar livros que amo às temáticas solicitadas, e adorei o resultado. Gostaram das minhas respostas?

Se você está lendo isso e também tem um blog, página, Instagram literário ou qualquer outra rede social e se interessou pelo desafio, o convido e incentivo a participar também, mas me marca para eu ler suas respostas, tá bom?

Veja também:

0 comentários