Dreamcatcher segue excepcional e macabro com You and I

by - maio 10, 2018


Anteriormente conhecidas como MINX, as garotas foram relançadas em 2017 pela mesma gravadora, Happy Face Entertainment, reformuladas sob o nome de Dreamcatcher como um grupo de sete integrantes que traria um conceito diferente ao cenário do k-pop ao misturar elementos do rock e de filmes de terror em suas produções, sem perder a imagem idol de um grupo feminino que canta e dança maravilhosamente.

Dreamcatcher está de volta com o seu segundo mini álbum de trabalho, Nightmare: Escape the ERA, que foi lançado oficialmente nesta quinta-feira (10) junto ao MV de sua faixa principal, You and I, qual será promovida regularmente nos programas musicais semanais ao longo do mês de maio.


A faixa segue por estilo semelhante dos trabalhos já realizados do grupo, diretamente ligada ao single de estreia do grupo, Chase Me, que faz parte do primeiro miniálbum "Nightmare", sendo este uma continuação do projeto de 2017. Com uma canção crescente que brinca com os diferentes vocais do grupo de modo a favorecer e enaltecer os talentos de todas as integrantes, explode com um refrão poderoso e chamativo que promete grudar na cabeça dos fãs.

Em sua letra, You and I aborda um relacionamento que elas esperam que aconteça em breve, convidado o interlocutor a se aproximar delas, dar as mãos e ficar juntos. Tudo isso, entretanto, segue por uma escolha de palavras dentro do contexto mistério/terror, com frases como "estarei ao seu lado neste mundo sombrio, querido" e "quando o sol se por, mantenha a porta aberta, toda a luz desaparece durante a noite", criando um ambiente noturno e escuro para o desenvolvimento de sua narrativa romântica.


Seu vídeo clipe também apresenta material semelhante aos anteriores, com a retomada a elementos como fotografias e espelhos. Em seus cenários, entra em destaque o da imagem acima, que demonstra uma produção em CGI muito detalhada impressionante para uma clipe musical de um grupo que vem de uma agência pequena, surpreendendo com sua capacidade de produção que, a cada comeback do Dreamcatcher, tem se mostrado ainda mais superior. 

As atuações, por sua vez, continuam impecáveis: a capacidade expressiva que elas possuem de demonstrar medo, pavor, sacrifício e desespero em suas narrativas para vídeos musicais é incrível, como se estivesse sendo assistido a uma produção cinematográfica, e não a um mero MV. Não dou muito tempo para que as integrantes comecem a ser convidadas para estrelar dramas e filmes com temática semelhante a de seus vídeos - e, se isso não acontecer, será um imenso desperdício de tanto talento.

Assista ao MV oficial de You and I abaixo:


Para a coreografia, o grupo inova dentro de seu contexto de trabalhos já produzidos ao inserir, pela primeira vez, o apoio de acessórios em suas danças. Lenços ficam presos em suas roupas durante o início da performance, sendo retiradas com maestria após os refrões e ao fim da música, quando são utilizadas para trazer um "a mais" em sua apresentação. A membro Dami, rapper, traz um apetrecho próprio ao caminhar com um bastão excêntrico durante a sua parte na canção, o que dá ao trecho e a sua intérprete um ar poderoso. 

No mais, a coreografia segue inegavelmente com o "selo Dreamcatcher de qualidade", dado pelas impressionantes habilidades de dança de todas as integrantes que ainda conseguem realizar o feito com perfeita simetria e harmonia. O grupo já realizou o seu comeback stage para os palcos no M!Countdown nesta quinta-feira e, mesmo com uma coreografia difícil de ser executada como esta, não pecam em exibir seus vocais ao vivo e naturais com grande perfeição. 

Assista a performance:


Além de You and I, o álbum conta com outras três faixas originais, além da versão completa de faixa de introdução utilizada no início do MV e versão instrumental de sua título. Em Mayday o grupo trabalha com instrumentos fortes e vocais altos em uma faixa que combina muito com a imagem e conceito do grupo.

어느 별 já é um pouco mais suave e sentimental, demonstrando um tom mais adocicado e apaixonado das integrantes do Dreamcatcher, como uma balada romântica para o grupo. A última é Scar, que retoma os instrumentais emprestados de bandas de rock japonesas, mas não entra com uma força vocalística, mantendo as vozes baixas e suaves, embora o refrão rápido e a incrível participação de Domi com seu domínio como rapper e sua voz única que casa perfeitamente com todas as canções do grupo. 

Ouça o álbum inteiro abaixo:


Com isso, Dreamcatcher realiza mais um excelente comeback que promete colocá-las sob os holofotes da mídia coreana e internacional: o trabalho delas está feito, basta o público geral e de imprensa saber apreciar a qualidade que este grupo tem entregado desde sua estreia, sem pecar uma única vez.

Veja também:

0 comentários