Apink assume nova imagem madura e esplêndida para I'm So Sick

by - julho 02, 2018


Apink assumiu uma nova cor após sete anos de carreira em uma imagem delicada, pura e inocente que era a marca registrada do grupo desde seu debut, embora a lenta graduação para a maturidade que começou a ser encaminhada desde LUV, em 2014, para atingir o seu ápice em forma perfeita em I'm So Sick, seu mais recente trabalho.

Para seu sétimo mini álbum, o sexteto feminino apostou em mudar de vez a sua imagem consagrada ao optar por, em vez de aegyos e vestimentas escolas, expressões sensuais e roupas que fazem maior jus a experiência e maturidade das integrantes de idades entre 24 e 21 anos, seja em vestidos brilhantes e decotados ou sociais de cores escuras e fortes que formalizam o conceito "grown women" do grupo, com um ar empresarial, de poder.


A mudança é percebida também no cenário do clipe, quando as cores pastéis e ambientes floridos dão espaço a quartos e elevadores luxuosos, buffets simbólicos e caóticos em representação ao coração cruelmente abalado, salões espaçosos e ruas escuras por onde performam uma coreografia também totalmente reformulada, com destaques para seus quadris e expressões faciais/corporais bem mais sérias e ousadas que o habitual do grupo.

A letra da música não deixa o novo sentimento do grupo passar despercebido, deixando de lado a inocência do primeiro amor para abrir as portas a despedida de um relacionamento confuso, cujo sentimento já não era o mesmo de quando começou, e tudo passou a ser regado a mentiras. Cantam, ainda, o quanto se odeiam por ao mesmo tempo ainda esperarem uma chance de ganhar verdadeiramente o coração da pessoa amada, mas preferem ser fortes e dizer adeus.



É como se, por meio desta música, o Apink conversasse consigo mesmo em um diálogo indireto com suas músicas anteriores, que demonstravam uma visão pura do amor e, agora, grandes, respondem a si mesmas com os aprendizados adquiridos ao longo do tempo e de suas experiências, podendo cantar sobre outras perspectivas, com novas propriedades, e ainda assim entregar um conteúdo de qualidade.

Pode não se parecer em nada com os trabalhos anteriores, mas nem por isso é ruim ou torna o de outrora excluível, mas apresenta a versatilidade do grupo e a sua capacidade de, mesmo em conceitos extremos opostos, colocar um ar difícil de descrever, mas que, quando você ouve, você sabe que se trata de Apink, o grupo que agora trabalha com diferentes tons de rosa.


Ainda é muito cedo para informar como tem sido a resposta do público coreano em relação a mudança e a nova música do Apink, mas o mini álbum, One & Six, já conseguiu chegar em #1 em alguns dos mais influentes charts do país, como Bugs e Soribada, enquanto já soma mais de seis mil cópias vendidas em apenas sete horas, além de ter levado apenas seis horas para atingir o primeiro milhão de visualizações em seu clipe oficial no YouTube. 

Internacionalmente, não só fãs do Apink tem demonstrado seu apoio a nova fase do grupo e a seu lançamento, como outros fandom tem manifestado o seu respeito pela carreira e trabalho deste que é um dos grupos femininos consagrados da Coreia e que tem grande influência no mercado ainda hoje, com sete anos de carreira, feito de poucos. Apink é mesmo um grupo que vale a pena ser fã.

Veja também:

0 comentários