Pentagon e os sapos: uma análise de Naughty Boy

by - setembro 20, 2018


Em meio a uma tremenda encrenca com o integrante E'dawn, que está sendo ridiculamente expulso da gravadora e consequentemente do grupo por "trair a confiança" da CUBE ao se envolver amorosamente com Hyuna, sua colega de empresa e do Triple H, o Pentagon realizou um comeback com apenas oito integrantes, levando em conta que Yanan está doente e também não pode participar das promoções do grupo.  

A nova música é Naughty Boy que, seguindo o sucesso de Shine, último lançamento do grupo, é uma canção divertida e brincalhona. Repleta de referências a sapos, pode até parecer algum tipo de canção infantil, mas analisar sua letra, principalmente com todo o contexto social do grupo, nos leva a um significado muito mais profundo. 

"청개구리" é o nome da música em coreano que, ao pé da letra, traduz-se para "hyla japonica", uma espécie de perereca que aparece principalmente no leste asiático. Também chamado de "sapo japonês das árvores", ganha esse apelido por ser um anfíbio que tem o hábito de passar o dia em arrozais, descasando para somente durante a noite mostrar-se ativo, quando sai a caça de insetos que são atraídos pelas luzes.


Com essa descrição em mente, entramos na letra da música que, em resumo, apresenta um eu lírico que está cansado das exigências alheias sobre si e diz que não irá mais ouvir as pessoas sobre como deve viver a sua própria vida. E onde entra o sapo? Em primeira leitura, identifiquei os sapos como os haters e netizens odiosos que se voltavam contra eles, até porque em português também temos uma expressão semelhante, "engolir sapos", que significa aguentar calado as coisas ruins que nos são direcionadas. 

Em leitura de uma segunda tradução, melhorada, percebe entretanto que Wooseok comenta que ele é o sapo, nos dando uma visão totalmente diferente: Eu nunca faço o que me dizem / Meus ouvidos estão tremendo, eu caio sete vezes, levanto-me na oitava / do ti la sol fa mi re do anopi, o que há de errado? / Eu sou um sapo de calça jeans e jaqueta denim

Os sapos são eles mesmos, que só querem continuar com a sua vidinha de anfíbio em paz, cantarolando, mesmo com os frequentes ataques de pessoas que tacam pedras neles por pura diversão. Isso, claro, quando entramos nas entrelinhas do contexto atual do Pentagon, coisa da minha cabeça de Universe, mas que rola aquela pontinha de verdade, porque sentido tem e muito. Falando abertamente, no contexto linguístico coreano, entretanto, chegamos ainda a uma terceira visão de 청개구리, que relaciona-se ao título em inglês, Naughty Boy (Garoto Malcriado).


Além da tradução ao pé da letra, 청개구리 é ainda uma expressão coreana que descreve pessoas que fazem exatamente o oposto do que lhes é pedido. Surge de uma fábula coreana/chinesa sobre um filhote de sapo que fazia exatamente o oposto do que era ordenado por sua mãe, até que ela morreu. Como ela sabia que ele iria fazer o oposto, pediu que fosse enterrada ao lado do rio, mas ninguém contava que desta vez ele seguiria seu mandado.

Quando chovia, entretanto, o pequeno ficava preocupado que a água do rio inundasse o túmulo de sua mãe e chorava muito - uma das explicações para os sapos chorarem durante a temporada de chuva. Falando não-cientificamente. De volta ao Pentagon, a letra continua em referências a esta fábula, o que pode ser um indício para certa "infantilidade" sentida a primeiro olhar em 청개구리, afinal, fábulas são normalmente direcionadas para crianças. A criticidade continua mesmo sob este olhar para a canção. Vejamos em:

"Siga-me"
"Siga-me mais uma vez"
Não me peça as mesmas coisas, apenas siga seu caminho
Não me incomode mais, não meta o seu nariz na minha vida

Ribbit ribbit, cantando a música de um sapo
Rodando e girando, estou tirando as pedras incorporadas
Há muitos caras legais na vida
Mas todos eles eventualmente mudam

Em laranja vê-se apontamentos que podem ser tanto para as gerações passadas como para haters que, na cultura coreana, são dois grupos de pessoas que tendem a ditar os passos das pessoas - mais novos ou ídolos, respectivamente. Como eles são sapos, apenas continuam cantando e seguem a ignorar os dizeres.

Em azul, um ditado coreano que ao pé da letra não faz o menor sentido, como muitos brasileiros, mas que pode ser traduzido como "uma pessoa que consegue mudar outra pessoa", ou seja, uma pedra que consegue remover outra pedra. Em verde, logo adiante, seguem nesse pensamento afirmando que os caras legais podem passar por transformações ao longo da vida - então por que só escolher os legais, se os danados, como eles, também irão mudar?


Sapo verde
Não ouço ninguém
Só faço as coisas do jeito que eu quero
Sapo verde
Eu nunca ouvi ninguém, mas
Graças a você, consertei meu hábito que eu tinha desde os três anos

Em laranja, o Pentagon continua a rebelar-se contra aqueles que querem dominá-los e domá-los, mas ao mesmo tempo, em vermelho, surge uma figura romântica pela qual eles estão dispostos a mudarem. Em roxo entra outra expressão coreana, que hábitos que nos acompanham durante o terceiro ano de idade serão cultivados pelo resto da vida, como colocar o dedo na boca ou, no caso, fazer o oposto do que é pedido.

Acima da montanha de nuvens
Eu vou construir um poço que é como o oceano
Eu quero viver milhares de anos
Com a minha dama leal


Na estrofe seguinte voltam a citar a figura, que agora sabemos que é feminina, chamada de dama, revelando novos detalhes de como estão dispostos a essa mudança para conquistá-la, afirmando querer construir um lugar maior onde possam viver juntos, mas em um lugar que ainda remeta ao rio, onde eles são quem são: sapos danados.

Mas a paixão é tanta que entra até na coreografia, conforme o fim do refrão da música é marcado por passos bem ritmados de um coração sendo formado pelas mãos dos integrantes, contratando completamente em relação ao restante da dança da música, que apela mais para uma questão divertida, de movimentos relacionados a sapos ou mesmo memes do Fortnite.

Por que você está me olhando tão negativamente?
Não importa o que alguém diga, não importa

O trecho acima apresenta uma pequena junção dos dois discursos: pessoas que tentam obrigá-los a mudaram vs pessoas que fazem com que eles sintam vontade de mudar para se tornar uma pessoa melhor, como se estivessem desabafando para a dama que não importa o que as pessoas digam, pois nem eles se importam: a única coisa que interessam a eles é o que ela sente, já que estão dispostos a mudarem pela amada. E mudam:


Eu mudei
Por favor olhe para mim

Lentamente, devagar, vamos amar
Vamos todos cantar juntos
Na sua frente, sempre tranquilo
Eu quero ser o que você quiser que eu seja
Apenas fique sempre ao meu lado

Eu prometo a você
Eu te apoiarei para sempre
Mesmo se eu morrer amanhã

Depois de argumentar tanto, mostram provas concretas de seus esforços e apresentam o seu novo eu, mudado, melhorado, mas que ainda tem alguns comportamentos ingênuos, já que neste momento do clipe os garotos brincam livremente pelos campos e se divertem em um passeio de carro, mas já não tão despreocupados com a vida. Agora já não são solitários e fazem uma promessa de morte que precisam cumprir.

Fica claro que essa dama leal são os fãs que não os abandonam mesmo nas piores circunstâncias, como a que eles estão vivendo no momento, certo? A relação Pentagon x Universe x Netizens é muito forte nessa música, e eles precisam do amor de seu fandom nesse momento para conseguirem superar todos os obstáculos que estão sendo colocados em sua carreira. Então, view em Naughty Boy:


Veja também:

0 comentários