#CCXP18: o que rolou no sábado

by - dezembro 13, 2018


O Elfo Livre passou o último fim de semana na CCXP18 e, nesta publicação, contamos tudo o que vimos por lá durante o primeiro dia de nossa passagem, sábado (08). Chegamos próximo ao horário de abertura dos portões para evitar filas, e deu bem certo: não demorou muito e logo estávamos dentro do evento, conferindo todas as estandes, atrações e artistas que marcaram sua presença por lá - mas sem entrar nos painéis exclusivos.

Evitamos filas durante todo o evento: a única que encaramos foi, por insistência minha, uma na estande da Netflix pois eu queria o pôster de O Mundo Sombrio de Sabrina - que já se encontra colado na minha parede. Foram mais de quarenta minutos de fila para uma atração que durou menos de dois minutos, dentro da Residência Hill, mas que não me arrependo porque o brinde é lindo.


Não entramos na loja de Harry Potter pois, convenhamos, os produtos de lá costumam ser bem caros: saiu uma pesquisa que afirma que o preço lá é 220% mais alto que comprar no parque dos Estados Unidos. Não compensa a fila toda, então apenas passamos dos lados, tiramos uma foto com o Bicuço que estava em exposição junto à cabana do Hagrid e foi essa a nossa passagem mágica por Hogwarts. 

Nas outras lojas, entretanto, nos aventuramos um pouco mais: como bons colecionadores de bonecos Funko POP!, não perdemos a oportunidade de observar - e até mesmo comprar - algumas dessas gracinhas. Os preços, por gastos internos que os vendedores tem na CCXP, acabam sendo menos atraentes do que pela internet, mas alguns itens exclusivos, por exemplo, ainda acabam compensando. Conseguimos um Giant Wight #60 e uma Princess Leia with Spider Bike #228 por dinheirinhos que nos deixaram felizes.


Mas se tem um outro amor que o Elfo Livre vive, é o da literatura. A estande da Editora Aleph, especializada em ficção científica com edições de luxo MARAVILHOSAS, estava tão linda e com preços tão bons que eu não resisti e acabei deixando mais do que gostaria por lá, mas não me arrependo de nada. Foram três obras compradas, das quais comentarei com mais detalhes em uma publicação específica para isso. Aguardem.

A estande da Editora Crás também foi um paraíso, mas essa já mais voltada para os fãs de quadrinhos. Compramos um exemplar de Spectrus - Paralisia do Sono por lá e ainda demos a sorte do autor, Thiago Spyked, estar por lá para já autografar o nosso exemplar. Ele foi super atencioso e fez até mesmo um desenho especial na obra, muito simpático. Também cheguei a passar pela da Rocco, que encantava demais com os olhos, mas dessa eu só não saí de mãos abanando porque consegui alguns marcadores (amo!) de brinde. 


A Artists' Alley foi um dos momentos de maior diversão do dia: deixamos para ir já próximo do fim do expediente pois sabíamos que íamos comprar bastante coisa, e não seria nada legal passar o dia inteiro carregando sacolas e mais sacolas pelo evento. Como acompanhamos via internet muitos artistas que estavam presentes por lá, resolvemos dar uma passadinha em suas mesas para, se não levar ao menos uma HQ ou bottom para casa, prestigiar seu trabalho. 

Dentre os muitos que visitamos, destacam-se os quadrinistas e ilustradores Caixa de Remédios, Bianca Nazari, Melissa Garabeli e Rebeca Prado, que admiramos bastante e foram super simpáticos conosco, além do autor Julio Azevedo, o Moletom do Facebook, que estava lá com o seu livro publicado pela Globo Alt e eu simplesmente não resisti - sou apaixonada nas tirinhas dele e foi uma honra conhecê-lo pessoalmente.


Depois disso tudo ainda tivemos fôlego (porque dinheiro nem tanto) pra passar na estande da JBC, a perdição de qualquer leitor de mangás. A editora é a minha preferida do ramo aqui no Brasil, com títulos pra lá de interessantes e queridos como Sailor Moon, Chobits e Your Name, além dos lançamentos de Erased e Boa Noite Pun Pun, que foram realizados ali na CCXP mesmo. Gastei mais do que eu podia, mas a felicidade de ter novos mangás é de valor inestimável. Assim como os títulos comprados na Aleph, volto mais tarde para falar sobre eles individualmente em uma nova publicação.

Embora tenhamos arrasado nas compras, pecamos um pouco na alimentação com um Bob's básico de almoço, muito energético e uma raspadinha que congelou a alma e o cérebro, mas que pelo menos ajudou a se recuperar um pouco do calor que estava naquele sábado. A recuperação para o dia seguinte foi quase nula, com apenas três horas de sono (socorro!), e você pode ler o que rolou no domingo nesta outra publicação.

Veja também:

0 comentários