A Caminho de Casa: uma emocionante história de amor e lealdade

by - março 05, 2019


A Caminho de Casa (A Dog's Way Home) chegou aos cinemas brasileiros na última quinta-feira (28) com mais uma emocionante e imperdível história protagonizada por um cachorro, Bella, que inicia uma jornada de volta ao lar após ser separada de seus donos, Lucas e Mãe, mas acaba se perdendo ainda mais em uma aventura de partir o coração.

Bella, na voz de Bryce Dallas Howard (Jurassic World) no áudio original em inglês, narra sua própria história sob uma perspectiva pessoal que possibilita ao espectador um contato intimista com a visão de mundo de um cão, como ele aprende e compreende não só comandos, mas ações e pessoas ao seu redor, com muita inocência, mas também coragem e lealdade.


Um leve incômodo que o filme possa proporcionar talvez seja devido as ocasiões improváveis que surgem na narrativa, como experiências de vida ou morte cuja sobrevivência é quase como um milagre, ou mesmo um Deus ex machina, como se diz no latim para indicar uma solução improvável e inesperada a um problema inicialmente impossível de ser resolvido. Os pequenos deslizes para com a realidade que somente uma obra fictícia pode oferecer.

Não é só o enredo que é bastante cinematográfico, mas também a fotografia, impecável. Principalmente nas cenas de natureza aberta, há uma grande exploração da beleza dos ambientes naturais e de seu paisagismo, além da suma importância dada aos mais pacatos elementos que podem compôr uma cena sem estar ali apenas por acaso, mas sendo propositalmente adicionado para ser notado e contar uma história sem palavras:


A história dos humanos não passa despercebida, sendo esta contada por meio do ambiente, como fotografias nas estantes ou cartazes nas ruas, em um excelente trabalho de montagem no qual o cenário não é passivo, e sim parte ativa e significativa da história. É importante prestar atenção aos detalhes visuais. 

Quanto ao restante do enredo, tudo é bastante válido e bem-vindo: a fidelidade ao seu humano, Lucas, é representada em diversos momentos ao redor do filme enquanto a protagonista Bella vivencia, ainda, experiências de laços familiares com outras espécies ou mesmo outros humanos, mas nunca possibilitada de esquecer sua missão de voltar para casa, onde sabe que alguém precisa dela.


Esse alguém nem está representado somente na figura de Lucas, mas da Mãe, como é compreendida a personagem da mãe do rapaz pela pequena cadelinha. Depressiva, Bella reconhece seu potencial para a recuperação terapêutica da mulher, sem sequer imaginar o quão importante é, ainda, para outros humanos desse círculo que formam uma linda união pelo amor e pelo resgate do dócil animal.

É uma narrativa extremamente emocionante, como esperado de filmes do gênero como Quatro Vidas de Um Cachorro (2017), baseado no livro do mesmo autor de A Caminho de Casa, Bruce W. Cameron. Impossível sair dos cinemas sem ter derramado ao menos uma lágrima com essa tocante história; tão impossível quanto segurar o impulso de chegar em casa logo em seguida e dar um lambeijo em seu pet querido. Vale a pena conferir - e chorar - com esse longa.


Em cartaz nos cinemas.

Veja também:

1 comentários

  1. Eu já tinha visto o trailer, mas não sabia que já tinha estreado!!!! Quero muito ir assistir, com certeza eu vou morrer de tanto chorar

    Carol Justo | Pink is not Rose

    ResponderExcluir