My Roommate is a Cat: um gato pode mudar vidas e estrelar o anime mais fofo do ano

by - abril 17, 2019


Baseado no mangá de mesmo nome escrito por Minatsuki e ilustrado por As Futasuya, My Roommate Is a Cat (同居人はひざ、時々、頭のうえ。) foi um anime slice of life lançado e concluído entre os meses de janeiro e março no Japão pela Zero-G e já podemos elegê-lo como o anime mais fofo de 2019

Conta-se a história de Mikazuki Subaru, um escritor de romances que é muito tímido e tem dificuldades para se relacionar, isolando-se desde o acidente que tirou a vida de seus pais. Em uma visita ao túmulo da família, conhece uma gatinha de rua e a leva para morar com ele - o que ele não imaginava que daria tanto trabalho assim!


A narrativa é apresentada sob dois pontos de vistas: em primeiro momento o episódio é narrado sob as ações de Subaru, acompanhando o personagem em seu cotidiano pacato, enquanto os últimos minutos do capítulo são reservados para contar a mesma história, mas desta vez sob o olhar da felina  Haru que agrega uma incrível doçura a momentos tão simples devido à sua ingenuidade e ao carinho que sente por seu humano. A troca de ângulos permite uma visão ampliada da história e uma submersão mais intimista em seus personagens.

Na perspectiva da gata, o anime ganha sensibilidade e originalidade enquanto expõe de forma muito tocante como é a vida de um animal de rua, os esforços pela sobrevivência e alguns traumas dessa difícil experiência que serão carregados pelo resto de sua vida, ainda que agora esteja ao lado de um humano que a quer bem - e que garante um pote cheio de comida, sinônimo de felicidade.


Assim como na maioria dos filmes e desenhos estrelados por animais, a gata ganha voz enquanto seus pensamentos são articulados, possibilitando-a comunicar-se com outros animais, mas não com os humanos - estes só ouvem miados. Seu conhecimento da língua japonesa, entretanto, é bem limitado, e a carência linguística é uma de suas características mais fofas devido as tentativas, muitas vezes falhas, de assimilar situações e objetos às palavras proferidas pelos humanos.

Dentro de seu próprio mundo, como felina, é deveras inteligente. Vinda das ruas como a irmã mais velha de uma ninhada completa, é experiente e sabe o que fazer para garantir não só o seu bem estar, mas o de todos a sua volta, focando agora em Subaru e seu comportamento esquisito que a deixa preocupada, revelando o seu lado acolhedor, quase maternal, que costuma disfarçar sob muitas exasperações.


Já sob a ótica Subaru, o personagem passa por um processo de desenvolvimento pessoal graças ao contato com a gata: sendo um rapaz que nunca antes teve muito interesse em relações humanas, ter um animal de estimação já é um grande passo e, sem imaginar, acabará o guiando para um mar de novas socializações que abrirão muitas portas. Haruzinha, como é amigavelmente chamada, inclusive acaba transformada em musa para seu mais novo romance, alavancando não só a vida social do humano, mas a profissional.

Personagens secundários vão surgindo ao longo da animação, cada qual com suas peculiares características que irão agregar à obra pela diversão, pois todos são hilários - principalmente Kawase, editor que trabalha com Subaru e é apaixonado por gatos, embora não seja retribuído -, mas também pela relevância que ganham dentro desta narrativa de redescoberta de um protagonista emocionalmente deteriorado pela perda dos pais. 


Além da identificação com o personagem pelo amor que expressa por sua gata, este isolamento de Subaru pode ser muito palpável para os seres mais individualistas, reservados e/ou introvertidos que passem por esta produção, fazendo-os perceber os benefícios dos momentos de exílio, mas também as necessidades e vantagens de se comunicar com o mundo exterior. 

Subaru pode ser ainda uma representação extremamente realista de muitos espectadores que também manifestem interesse pela literatura, tanto pela leitura quanto pela escrita, podendo por meio deste herói e de sua rotina de trabalho criar novos laços com o mundo editorial, como as dificuldades em se trabalhar com a criatividade, ou identificar seus hobbies e prazeres literários nas atitudes do protagonista que está quase sempre com um livro em mãos - e um gato ao lado.


Como típico do gênero slice of life, não são esperadas grandes cenas de ação e reviravoltas triunfais, mas nem por isso a animação é parada ou cansativa. O cotidiano é abordado com muita sutileza e bom humor, enfatizando a graça de situações que possam ser comuns para outros pais/mães de gatos ou até mesmo de outros animais, devido a intrínseca relação que é estabelecida entre os personagens humano-felino e que unicamente por meio dela a história pode se desenvolver sob a ideia muito verdadeira de que um animal de estimação pode mudar a sua vida.

Completo em uma temporada única de 12 episódios, o divertido anime está disponível na íntegra pela Crunchyroll e pode ser a pedida perfeita se você está em busca de algo leve para contrastar com o peso do dia a dia - ainda mais se for um amante de gatos e outros pets, uma vez que a identificação com os personagens e seus cenários tornam-se essenciais para um verdadeiro aproveitamento da obra.

Veja também:

0 comentários