Irmão do Jorel, de brasileiro para brasileiro

by - agosto 11, 2019


Irmão do Jorel, popular série animada criada por Juliano Enrico e transmitida pela Cartoon Network desde 2014, já teve três temporadas muito bem recebidas e a chave de seu sucesso é o humor tipicamente brasileiro que carrega em seu enredo. 

Jorel é um garoto lindo, de cabelo sedosos, bom em esportes e que chama a atenção de todas as garotas da vizinhança, mas a série é sobre seu irmão mais novo que, de tão ofuscado, sequer tem seu nome revelado: lutando para encontrar sua própria identidade, o garoto se mete em enrascadas divertidas em um cenário bem nacional. 


Ambientada no Brasil, a série traz uma mistura de elementos dos anos 80/90 aos da atualidade, transformando em paródia coisas que só um brasileiro raiz conseguiria entender, em uma comédia pastelão que conquista por sua autenticidade (e pelas veladas críticas ao sistema, doa a quem doer). 

É neste cenário que nos deparamos com referências a programas de auditório ridículos, comerciais extravagantes, bares de esquina, video-games, filmes violentos, atores de um papel só, boybands da moda e até mesmo a febre dos animes ou o desaparecimento das locadoras, que há poucos anos ainda faziam parte de nosso cotidiano. 


Seus personagens são caricatos, de forma positiva, cada qual representando um estereótipo como o apresentador preocupado com a fama e nada mais, a mãe fitness, o pai que luta contra as forças opressoras do capitalismo e mesmo a dualidade entre a avó boazinha que te enche de comida (come abacate, bem) e a assustadora, sendo essas duas as responsáveis por roubarem a cena dos episódios.

No protagonista, apresenta-se ainda o rito de passagem da infância para a adolescência, em que assuntos como popularidade e romance começam a ganhar importância na vida da criança. Com o fator da timidez, muito influenciada por ter sempre vivido a sombra de seu irmão, Jorel sente dificuldade em se encaixar e nem sempre consegue notar as portas que se abrem para a sua felicidade, mas amadurece a cada temporada, conforme podemos acompanhar um pouco de seu crescimento.


Além de sua família, nesta fase é importante a presença de Lara, sua melhor amiga, e de Ana Catarina, sua primeira crush. Essas duas garotas revelam sentimentos diferentes no garoto, que vão se manifestando e ganhando força ou novas formas ao passar dos episódios, enquanto o jovem entende mais sobre si mesmo e sobre o mundo em que está inserido.

Neste sentido, a série torna-se importante para crianças e jovens que estejam passando por momentos semelhantes em sua vida, podendo causar uma espécie de identificação que fará com que o tele-espectador cresça ao lado do protagonista sem reconhecer o processo de "autoajuda" na trama, muito mascarada sob o bom humor. Já para os adultos, a graça fica pelas cômicas e nostálgicas referências que só fazem sentido de brasileiro para brasileiro.

De qualquer modo, vale a pena conferir a produção.

Veja também:

0 comentários