Voldemort: A Origem do Herdeiro é convincente e bem produzido para um fanmade

by - janeiro 15, 2018


O principal erro dos espectadores ao assistir uma obra produzida por fãs é compará-la com produções de empresas consagradas no ramo cinematográfico e esperar o mesmo nível de qualidade. Voldemort: A Origem do Herdeiro é quase como uma fanfic pré-Harry Potter sobre o surgimento do maior lorde das trevas que, com muito empenho dos fãs, transformou-se em um filme independente com autorização da própria Warner que cumpre com o que promete.


Nesta produção independente realizada pela italiana Tryangle Films por meio de financiamento coletivo que contou com doações de fãs de todo o mundo, somos apresentados a vida escolar de Tom Riddle em Hogwarts, com seus colegas herdeiros das Casas, enquanto caminha rumo a sua ascendência como lorde das trevas, coletando Horcruxes. 

O enredo de Gianmaria Pezzato torna-se um pouco arrastado por suas ações serem, na maior parte, apenas contadas ao público por meio de relatos estáticos de Grisha Mac Laggen, herdeira da Grifinória, que investiga o assassinato de Hepzibah Smith, herdeira da Lufa-Lufa, e descobre a existência de magia negra em Hogwarts com o envolvimento de seu antigo amigo de infância, Tom Riddle. 


Sem a visão sequer de flashbacks, não somos permitidos a ver, de fato, a origem e os avanços de Riddle, o que é uma pequena decepção. A história, entretanto, consegue segurar o telespectador, enquanto a curta duração do filme (cerca de 50 minutos, apenas) faz com que seu ritmo lento seja menos notável e o final trás um plot twist interessante ainda que, talvez, previsível. 

Positivamente, destacam-se, principalmente, as locações escolhidas para as gravações do longa. Com um lugar mais lindo e bem-produzido que o outro, faz-nos sentirmos como se estivéssemos dentro de algum filme da franquia original com os caros cenários dos estúdios da Warner enquanto, na verdade, é tudo improviso de mentes de fãs brilhantes. Os efeitos e filtros escolhidos para a produção final também demonstram preocupação em apelar para a conquista visual, o que é feito com sucesso.

Em seus aspectos negativos, a dublagem é o que mais deixa a desejar. Originalmente gravada em italiano e posteriormente dublada em inglês, sendo disponibilizada apenas nessa opção, a dessincronização do áudio torna-se o fator de maior incomodo na experiência do filme. A estratégia de optar pela dublagem pode ter sido tanto para atingir um público maior com um idioma de fácil alcance como o inglês, como pela caracterização e regionalização da obra, com personagens britânicos - o que, para um trabalho de fãs internacionais, poderia ter sido considerado desnecessário.


Como sabemos, 50% da atuação de um ator está no poder que ele coloca em suas falas, o que é perdido na dublagem. A outra metade, entretanto, ainda pode ser bem avaliada por expressões corporais e faciais dos atores envolvidos, embora sejam um pouco teatrais demais para uma produção em filme. 

Considerando que, rusticamente falando, Voldemort: A Origem do Herdeiro não é muito além de uma fanfic transformada em filme por meio de uma produção independente e pouco experiente, chega a ser ridículo avaliá-lo do mesmo modo que se avaliaria uma produção da Warner, por exemplo. Como trabalho feito por fãs, é extremamente convincente, caprichoso e digno de reconhecimento e aplausos, usando o famoso "não gostou? faz melhor" como principal arma de defesa contra críticas destrutivas.

Embora a recepção negativa por parte do público, o filme ultrapassou a marca de 2 milhões de visualizações em menos de 24 horas desde seu lançamento no YouTube conseguindo, ainda, alcançar a primeira posição nos vídeos do momento da plataforma. Disponibilizado gratuitamente, você pode conferi-lo com legendas em português pelo próprio canal da Tryangle e incentivar o estúdio independente a continuar produzindo obras de qualidade como esta.

Veja também:

6 comentários

  1. Oiii Karol, tudo bem? :)
    Primeiramente queria falar que eu já te linkei como parceira e te apresentei no post novo ♥

    Apesar de não ter ficado perfeito eu adorei a iniciativa de fazer algo fã-made maior :) é de uma enorme criatividade. Tbm tem que lembrar que a questão dos direitos deve ter dificultado bastante ;/ vai que os flashbacks não aconteceram por causa disso... não sei. Mesmo assim vou assistir :) Ameei o post

    Bjs ^__^ o blog está com visu novo
    Blog:ShyandBrave

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiii, tudo bem sim, e contigo?
      Acabei de conferir seu post novo e o layout ficou lindo! Obrigada por ter me apresentado no seu blog. ♥

      Realmente não beira a perfeição, mas é uma produção muito digna se formos ver todo o trabalho e dificuldades que o estúdio independente deve ter enfrentado para poder tirar essa ideia do papel. Adorei o filme, de verdade.

      Excluir
  2. Olá olá

    Ainda não assisti o filme, mas achei a ideia fantástica e algo que a franquia original também poderia ter pensado e feito, afinal quem não gostaria de ver a vida escolar do fucking Lorde Voldermort? dksjdks Mas pretendo assistir assim que possível e dar todo o apoio a esse estúdio adorável que trabalhou tanto para nos presentear com uma obra bem-feita como esta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Maris!

      A ideia é muito fantástica mesmo. Com o universo de Harry Potter se expandindo agora com Animais Fantásticos, não acho que vá demorar muito para a Warner começar a apostar em histórias de outros personagens. Seria meu sonho um filme sobre a Bellatrix? ♥

      Por enquanto, acho que não é exagero quando digo é nosso dever como fãs apoiar essas produções independentes que estão trabalhando duro e entregando boas obras como esta.

      Excluir
  3. Oieee Karol, primeira vez aqui no seu blog <33 Pretendo vir aqui mais vezes. Uoou eu nem sabia que fizeram filme disso. É uma pena que tenha tido aspectos negativos mas até que ficou bem feito não é mesmo? Agora que eu estou vendo eu estou achando interessante ausaushau.

    Snack Cheese Viva o leite ~🍪v i s i t e - n o s🍪

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Yuka! Obrigada pela sua primeira visita por aqui, espero que tenha gostado do conteúdo e que possa contar mais vezes com a sua presença no #Elfo Livre.

      Estou aguardando o lançamento desse filme desde que o estúdio começou a divulgar a vaquinha on-line para ajudar no financiamento da produção. Embora os aspectos negativos que são até comuns para uma obra inexperiente como essa, vale muito a pena conferir o trabalho deles e continuar apoiando o mercado de produções independentes.

      Excluir