The Unit: minhas performances preferidas da Unit G

by - fevereiro 12, 2018


O The Unit chegou ao fim. Embora os resultados finais não tenham sido muito do meu agrado, o programa proporcionou bons momentos, ótimas músicas e excelentes performances que ficarão marcadas por um bom tempo. Pensando nisso, resolvi selecionar algumas das minhas apresentações preferidas da UNIT G ao longo dos episódios, sendo esta, portanto, uma lista totalmente favoritista e baseada em meus gostos pessoais. Será que temos algo em comum?


Crazy
Foi bem louco mesmo. As integrantes que participaram deste grupo conseguiram entregar uma performance a altura do original, do 4Minute, no quesito de transparecer loucura e poder feminino em suas expressões faciais ou na força dos movimentos que mesclam sensualidade e malandragem. Nari, Hyosun e Mint pareciam ter nascido exatamente para performar essa música, mas membros como Euna Kim, Saebyeol e Viva surpreenderam e muito a quem assistiu, por serem conceitos opostos aos abordados por seus grupos de origem. 


Novamente, um destaque para Nari. Artista nata, a garota não brinca no palco e conseguiu organizar seu time a uma performance sensual, despojada e inclusiva, utilizando as diferentes forças e personalidades de suas integrantes para criar uma coreografia que enaltecesse a todas, sem tirar ninguém de sua zona de conforto, aproximando-se da perfeição por saber lidar com todas essas questões de modo a favorecer o grupo. Como bônus, as garotas nos proporcionaram ainda uma série de interações girl x girl que tiram suspiros até hoje, meses após a data da performance que chocou não só o público, mas aos jurados e até mesmo às outras participantes. 


A que será lembrada como a melhor apresentação de todo o programa, sim ou com certeza? A versão de Who's Your Mama, do JYP, rearranjada por Semmi, não só conseguiu o primeiro lugar na missão como levou as membros da equipe a performarem no especial de fim de ano da KBS, um dos mais importantes eventos da música coreana, como prêmio por seu bom desempenho e vitória no The Unit. Como time com habilidades em ambos vocal e rap, a nova sonoridade da música conseguiu destacar e enfatizar talentos e belezas de todas as integrantes, cada uma a sua maneira, mas de modo muito organizado e harmonioso, como se a música sequer tivesse preciso passar por um processo de reedição que deu a Semmi a ponte de destaque que ela precisava para iniciar sua ascensão no programa, ainda que por pouco não tenha sido eliminada antes de poder chegar ao pódio. 


Não sou de enaltecer músicas lentas, mas baladas essencialmente voltadas para a capacidade vocal merecem seu mérito por boas cantoras que entregam resultados satisfatórios, não? Esse cover de Last Dance, do Big Bang, é uma dessas exceções que a gente tem até orgulhoso de falar sobre. Os pelos do braço chegam até a arrepiar com tanta potência vocal entregue pelas nove integrantes do grupo, que mais parecia um concurso de gritaria afinada entre Haena (que me faz chorar todas as vezes que ouço à música, tamanha força e emoção que coloca em sua performance), N.CA, Eun E, Hayoon e Minhee, mas ainda em harmonia aos vocais mais adoráveis de integrantes Yebin, Lucky e Gaul, que também conseguem transparecer sua sinceridade por meio dessa música que foi, de fato, a última dança para algumas delas. Inclusive a maravilhosa e multitalentosa Haena, infelizmente. 


Foi a mais sensual e madura do time feminino para a missão de produção de álbum. Para a sorte da música, ela foi escolhida para ser gravada por um time que conseguiu demonstrar-se poderoso em ambos beleza e vocal, características necessárias para entregar uma boa performance. Não é a toa que a música acabou em segundo colocado, conseguindo conquistar um MV para o time em questão, mas talvez seja justo afirmar que, pelo menos internacionalmente, foi a escolha preferida do público geral do programa. Minha única reclamação seria sobre a música não ter sido capaz de favorecer os pontos mais altos de Semmi, do Matilda, mas mostrou-se uma artista tão completa que, graças a seu desempenho, conseguiu alcançar o segundo lugar dentro de seu time e no terceiro ranking oficial do programa. 


O time de Poco a Poco acabou enfrentando alguns problemas devido a imagem do grupo, majoritariamente formado por integrantes mais velhas, não combinar com a imagem juvenil e inocente dessa música sobre primeiro amor. Ainda que seja engraçado assistir a algumas das participantes de idade mais avançada, como Yoonjo e Jiwon, tentando passos infantilizados, elas conseguiram lidar bem com o problema, distribuir os momentos mais meigos às integrantes mais novas, Lucky e Somyi, e entregar uma performance digna, com aparências agradáveis que, segundo os próprios compositores da música, lembraram jovens noivas. 


Para quem gosta de músicas com uma pegada mais cômica e fofa, Cosmos é a pedida perfeita. As integrantes do time vermelho, responsável pela música, conseguiram aumentar o nível de carisma da canção ao acrescentarem elementos de interação, diversão e muitas expressões faciais à coreografia, o que tornou-se o principal atrativo da produção - e faz dela a minha faixa preferida da missão. Embora integrantes como Dana e Viva tenham nascido para esse tipo de conceito mais divertida, chega a ser engraçado assistir integrantes menos delicadas, como Hyosun e Kim, arriscarem suas fofuras pouco convencionais na música, ou até mesmo Yooeun, do Melody Day, que acabou divertindo a todos com suas expressões exageradas que conseguiram se adaptar bem ao ritmo da música, em merecido destaque à cantora que infelizmente não conseguiu chegar à final.


Sweet
Minha cota de Woohee, Nari e Euna Kim trabalhando juntas, porque eu não sabia que precisava disso até a música ser revelada. O conceito segue por uma pegada sensual que também joga com bons vocais, valorizando o forte de Woohee, que tem trabalhado bem com ambos temas durante o Dalshabet, e fantasticamente enaltecendo Euna Kim, que consegue executar todos os conceitos com excelente maestria. Reclamo, entretanto, que Nari tenha sido desvalorizada nessa canção, ainda que seja um tipo de música que parece ter nascido para a artista que desde sempre é reconhecida por sua sensualidade no palco. O mau proveda garota nessa performance a levou a eliminação, o que eu não perdoo até hoje.


Ting
Para a final do programa, a performance de Ting foi a minha preferida da UNIT-G, mesmo que, ainda que seis das minhas integrantes preferidas participassem desse grupo, sendo elas Semmi, Dana, Somyi, Euna Kim, Jiwon e Yang Jiwon, somente a última conseguiu se classificar para a formação final e oficial do grupo. A música fofa colocou integrantes de expressões e vocais mais adoráveis em ênfase, capaz ainda de mostrar um lado mais meigo e divertido das membros que normalmente não apostam nesse tipo de música, como Euna, Jiwon e Semmi, mas que ainda sim foram possibilidades de entregar um bom show, como boas artistas versáteis que são. Eu, honestamente, esperava que as músicas para o último episódio fossem mais fortes, mas ambos grupos femininos deixaram um pouco a desejar nesse quesito, pelo menos ao meu gosto, em comparação às faixas da missão anterior.

E as suas performances preferidas, quais foram?

Veja também:

2 comentários

  1. A versão que elas fizeram de jackpot do block b também foi incrível

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho essa performance muito boa, principalmente por ter sido a primeira chance da Woohee mostrar seu verdadeiro potencial, mas não chega a ser uma das minhas preferidas.

      Excluir