BTS - Burn the Stage: o lado humano dos idols em um filme comovente e precioso

by - novembro 30, 2018


No mês de novembro, pelo menos 1500 salas de cinema ao redor do mundo receberam o documentário em longa-metragem BTS - Burn the Stage, que narra os bastidores da turnê The Wings, da popular boyband sul-coreana BTS, como uma extensão cinematográfica do seriado produzido pelo YouTube Originals.

Com sua já conhecida perfeição nos palcos, o filme deixa de lado as músicas e performances ao vivo para focar no lado humano dos integrantes, exibindo seus mais verdadeiros sofrimentos e felicidades que nem sempre são lembradas pelo público. Com sangue, suor e lágrimas, os sete membros dão o seu melhor uns pelos outros e, claro, pelo fandom - suas asas, como descrevem calorosamente.


O sofrimento é bastante enfatizado, demonstrando o lado difícil que a fama traz, mas que tudo vale a pena, no final das contas, mas o documentário não deixa de mostrar seus benefícios e os momentos de diversão dos meninos em cenas que aquecem o coração das fãs, repletas de sorrisos, risadas e pequenos gestos, como um abraço ou uma piadinha interna, que dão aquela sensação gostosa de que o BTS não é só um grupo: é uma família.

Acompanhando os meninos por sua tour ao redor do mundo (inclusive pelo Brasil!), nos sentimos mais íntimos deles, não só por ver seus momentos de distração, regados a muito álcool e risadas, mas também por sua questão profissional, entendendo melhor a participação que os membros tem na organização dos shows, como são seus ensaios e as tomadas de decisões para as performances.


Nenhuma música foi tocada inteira, mas isso não é uma falha: de trechinho em trechinho de cada apresentação, fica o gostinho de "quero mais" e o desejo de poder apreciar isso pessoalmente, algum dia - e se tem uma coisa que o Bangtan nos ensinou, foi a não desistir de nossos sonhos. Eles próprios são exemplos humanos disso!

E de humanidade o BTS entende bem: o filme deixa bem claro o quão sentimentais os integrantes são, com um choro aqui, um abraço ali, uma mensagem de apoio acolá. Eles sempre estão presentes um para os outros, preocupando-se mais com o sofrimento alheio do que com o próprio, com entregar uma perfeita experiência dos fãs do que com qualquer dor que possa atrapalhá-lhos no percurso - por mais que doa o nosso coraçãozinho ver o quanto eles se esforçam. O amor ao próximo é uma lei que vigora com muito rigor nesse grupo, e temos muito a aprender com eles.


A montagem do filme foi excelente, não deixando nenhum detalhezinho passar: cada faceta dos integrantes, desde sua liberdade brincalhona ao profissionalismo de saber a hora de parar de rir e agir com seriedade, fizeram-se presentes no longa. As filmagens em altíssima qualidade colaboram ao pegar os melhores ângulos dos sete, mas não falo só de seus exteriores (belíssimos, aliás), mas de como suas almas e sentimentos são capturados pelas câmeras. Até o Yeontan, cachorro do Taehyung, teve seu momento de brilhar! 

Para os fãs, o filme é um prato cheio: você vai sentir vontade de chorar com as dores e colapsos dos integrantes nos bastidores, vai sentir seu coração bem quentinho com suas brincadeiras e demonstrações de afeto, mas sobretudo, vai se sentir verdadeiramente amada por seus ídolos, que deixam claro o filme todo o quão importante o ARMY é não só em suas carreiras, mas em suas vidas

Veja também:

1 comentários