Snacks coreanos: será que é bom?

by - dezembro 01, 2018


Snacks coreanos são uma tentação para qualquer pessoa que acompanhe K-POP ou dramas televisivos: que atire a primeira pedra quem nunca ficou com lombriga depois de ver um artista da Coreia do Sul comendo essas delícias. Com a expansão da cultura coreana ao redor do mundo, graças ao sucesso da Onda Hallyu, as tão sonhadas guloseimas estão começando a chegar ao mercado brasileiro e o Elfo Livre experimentou algumas delas!

Antes de começar a falar o que eu achei, vale que eu sou brasileira, acostumada a comer pratos ocidentais, então meu paladar é diferente dos coreanos. Alguns temperos ou escolhas de ingredientes mais orientais podem parecer bem estranhos na boca de um brasileiro, mas levo essas diferenças culturais em conta na minha análise, ok? Vamos lá!


Cuttlefish Snack - Nongshim

Salgadinho de lula? Oi? Isso soa bem esquisito para brasileiros, que não estão acostumados sequer a consumir lula em sua forma natural, quem dirá em derivados! Já tinha comido lula como recheio de pratos japoneses como takoyaki (bolinho) e okonomiyaki (panqueca frita), mas tem mais cheiro de peixe de mercadão do que de lula, e o gosto ainda é uma incógnita pra mim, mas dá pra sentir um sabor de lula sim - misturado a muitas outras coisas. A textura é bem e crocante e não é igual nem parecida a dos salgadinhos daqui, normalmente feitos à base de milho, mais fofinhos. Tem formato de lula e vem em cores variadas dentro da embalagem, o que achei bem bonitinho.

Tako Chips - Nongshim

Experimentei o de frutos do mar e o sabor e cheiro foram praticamente iguais ao do salgadinho de Lula: como são da mesma fabricante e, segundo a listagem de ingredientes no verso da embalagem, têm composições quase iguais, acaba explicando um pouco a semelhança, mas por serem vendidos como sabores diferentes achei meio decepcionante no paladar. Já a forma e a textura mudam completamente e isso salva a experiência de comer os dois: esse aqui tem formato de batatinha chips crocante, tipo Ruffles, mas é bem menos salgada. 

Tteokbokki Snack - Cosmos

Tteokbokki é um dos pratos mais populares da Coreia do Sul e consiste em uma massinha de arroz, tipo um nhoque bem al dente, mas em formato de bastão, regada a muita gochujang (pasta de pimenta coreana infernal) e com bolinhos de peixe, embora a receita possa variar de acordo com o chef. Comumente vendido nas ruas como opção de snack quente, teve seu sabor convertido pra um salgadinho crocante: já tinha comido tteokbokki antes e ele é levemente agridoce, mas achei o sabor do salgadinho muito mais adocicado e isso me incomodou. É salgadinho ou é doce? Fiquei confusa! Mas lembra o sabor do tteokbokki e a gochujang é presente, então cumpriu o recado.

Shrimp Flavored Cracker - Nongshim

Dos salgadinhos, foi o que eu mais gostei. O gosto de camarão é bem presente, o que é um ponto muito positivo! Ele tem um sabor meio apimentado, mas não chega a ser uma pimenta tão forte quanto outras coreanas que já experimentei e me fizeram dar uma voltinha no outro mundo. Ele é crocante e a textura parece com a do Ebicen, que é bem popular aqui no Brasil e se encontra em qualquer mercado, então a semelhança pode ter ajudado no paladar infantil da ocidental fresca aqui que, como vocês viram, não curtiu muito as opções anteriores. 


Algodão Doce - Mongsco

É bem diferente dos algodões que vendem nas ruas aqui do Brasil ou até mesmo daqueles gourmet de shopping: ao contrário dos salgados, que ficam com a sensação de comida natural em relação às opções brasileiras, esse aqui tem um gosto bem mais artificial, talvez pelos conservantes para aguentar as viagens e tempos de mercado, mas não deixa de ser gostoso, bem docinho - é um algodão doce, né? O sabor que eu experimentei é o de morango, bem rosinha, super cute, e a embalagem é a coisa mais fofinha do mundo! Ia guardar para usar de porta-lápis, mas minha mãe fez o favor de jogar fora sem perguntar. (; ⌣_⌣)

My Gummy - Orion

Experimentei a de sabor uva e que bala super gostosinha! A textura lembra qualquer bala gelatinosa de ursinho, mas ao contrário das opções da Fini ou da Haribo, as marcas mais populares por aqui, o sabor da fruta é MUITO presente nesse doce! Tem um sabor artificial de uva, tipo suco Tang, mas MUITO forte, o que deixa a bala uma delícia! Dá vontade de comer o pacote inteiro de uma vez! O cheiro também é super gostoso, só de abrir o pacotinho já vem aquele punch de uva na sua cara. COMPREM!

Sparkling Soda - Sunkist

O sabor que eu experimentei foi de toranja, que por si só já é super diferentão. Já havia tomado sucos artificiais dessa fruta e não gostei, achei o sabor muito forte, mas o refrigerante da Sunkist (que na verdade é uma marca estadunidense, mas experimentamos o importado da Coreia) é muito bom! Lembra um pouco o sabor da laranja, mas em um misto de doçura e acidez extremas que você não sabe direito o que está tomando, mas está gostando mesmo assim. O diferencial dessa marca é o efeito sparkling, que deixa o gás cheio de bolhinhas que vão explodindo na sua língua enquanto você bebe. É uma sensação meio esquisita no começo, mas fica gostoso depois de alguns goles e no final você fica querendo mais. 


Uma opinião em geral referente aos quatro salgadinhos é que, no meu paladar, falta sal. As comidas industriais brasileiras costumam possuir uma porcentagem de sódio muito mais elevada que a de comidas orientais, que acabam tendo um gosto mais de snack saudável/natureba que ainda me faz preferir os salgadinhos daqui, como Torcida ou Doritos. Algumas coisas também são mais adocicadas do que eu gostaria, já que a comida oriental tem uma tendência bastante agridoce que não costuma agradar os brasileiros, tanto que muitas comidas agridoces que são distribuídas para o Brasil acabam sofrendo algumas alterações na receita, diminuindo os açucares ou aumentando os sais. 

Mas não é ruim! Só é um gosto bem diferente do que estamos acostumados, e com certeza vale a pena ao menos pela experiência de provar algo variado - ou até mesmo pelo sabor, pois em um país de culturas tão diversas como o nosso, as pessoas também tem paladares diferentes e aquilo que não me agradou muito pode ter o gosto do paraíso para outros. Já os doces, embora tenha experimentado poucos, achei todos bem gostosos, principalmente a bala. O refrigerante me deixou com vontade de provar outros sabores e marcas coreanas, é super diferente das bebidas gaseificadas daqui - embora seja uma marca originalmente estadunidense, mas que acabou fazendo mais sucesso na Coreia. Valeu muito a pena! 


A maioria desses itens foi comprada na estande da Otugui que esteve presente no K-CONTENT EXPO 2018, mas eles têm loja física (Rua Três Rios, 251 - Bom Retiro) e também trabalham com venda on-line, pelo site otuguism.com.br, então dá pra comprar de qualquer lugar do Brasil. 

Eu sou de Sorocaba/SP, cidade com forte imigração japonesa, então tem vários mercadinhos orientais por aqui. Costumo comprar bastante na Assahi (Rua Padre Luiz, 411 - Centro) e na Nakayoshi (Rua Cesário Mota, 505 - Centro). Cidades com muitos imigrantes asiáticos costumam oferecer esse tipo de mercado, assim como os bairros da Liberdade e Bom Retiro, em São Paulo, que estão cheios de lojinhas assim. Vale a pena pesquisar.

Existem também opções de assinaturas de caixas de snacks, que você paga uma mensalidade (em dólar) e, todo mês, recebe uma quantidade X de guloseimas coreanas e/ou japonesas em casa. As principais são a Snack Fever, Korea Box, KoreanSnack BoxUmshikBox, Tokyo Treat ou ainda a opção brasileira Candy in Box, que oferece doces importados de diversos países ao redor do mundo, não só da Ásia.

(◡‿◡ ♡)

Essa foi a minha primeira publicação de review de comida! Se quiserem mais publicações sobre snacks e pratos asiáticos ou até mesmo de restaurantes no Brasil, deixem um comentário para eu saber que vocês se interessam por esse tipo de conteúdo e ficarei muito feliz em trazer mais posts assim. 

Veja também:

0 comentários