RESENHA: Joy – O Nome do Sucesso

by - janeiro 28, 2016


A mais nova comédia dramática de David O. Russel nos trouxe a biografia de Joy Mangano, uma inventora estadunidense que desenvolvia produtos cotidianos e fez sucesso ao vender suas patentes em uma rede televisiva, tornando-se então uma grande empreendedora. Com Jennifer Lawrence no papel principal, vemos a difícil vida de Joy, que conciliava a maternidade e problemas de família com suas criações.

Título Original: Joy
Direção: David O. Russell
Gênero: Biografia, Drama, Comédia
Lançamento: 2015, Estados Unidos

Com a vontade de facilitar e melhorar a vida de todos e as boas ideias que tinha desde a infância, Joy cresceu como uma mulher forte, mesmo com todos os problemas que insistiam em aparecer no seu caminho. Enquanto limpava os cacos de uma taça quebrada durante um passeio com sua família, acabou criando o seu revolucionário "Esfregão Milagroso", que tornou-se o maior sucesso e tirou-a da situação horrível em que vivia. 

Apesar de biografias não serem lá o gênero preferido da maioria (e não estou falando por mim, pois adoro), sua mensagem de força, perseverança e toda aquela coisa de nunca desistir de seus sonhos acaba dando um ar a mais no filme. Sua história é cativante e consegue prender a todos, por mais que o final seja óbvio mesmo para quem nunca havia escutado ao nome Joy Mangano anteriormente.


Como já era de se esperar em filmes dessa linhagem, personagens secundários acabaram sendo deixados de lado e não foram tão bem explorados quanto poderiam. A avó de Joy, dona Mimi, é uma senhora que sempre demonstrou muito apoio a nossa protagonista, mas que não conseguimos criar tanto afeto pela falta de informações que tivemos sobre ela. Seus familiares poderiam ser melhor trabalhados? Sim, entretanto, isso não chega a ser um problema tão grande.

Compensando esse furo, a estética do filme está surpreendentemente arrasadora. Tanto as locações escolhidas para a filmagem quanto a fotografia estão maravilhosas. Sem contar ainda com a trilha sonora absurdamente perfeita, não é? Bee Gees, The Rolling Stones, Cream, The Ronettes e outros grandes nomes da música dos anos 60/70 marcaram sua presença durante as cenas do filme.


Para quem, assim como eu, curte a vibe das décadas passadas, assistir a um longa atual com todos os recursos tecnológicos avançados que temos (vide edição, efeitos e resolução) que se passa em tais épocas é uma aventura emocionante e com certeza muito apreciável. 

Portanto, deixo aqui minha recomendação para que todos vejam essa obra de arte em formato áudio-visual. O filme não é perfeito, longe disso, mas vale muito a pena assistir e conhecer um pouco mais da história de vida dessa empreendedora de sucesso que deu a volta por cima, além de curtir a atuação desse elenco magnífico, a trilha sonora impecável e fotografia mais do que elogiável.


Abrindo um outro parenteses aqui, não posso deixar de citar uma coisinha interessante sobre minha relação com esse longa. Primeiramente, Jennifer Lawrence é uma de minhas atrizes preferidas desde 2011, ao interpretar pela primeira vez a Raven nos filmes de X-Men. Sua fama apenas veio a aumentar ainda mais um ano depois, ao assumir o papel de Katniss Everdeen, a protagonista da saga best-seller Jogos Vorazes.

Obviamente este foi um empurrão a mais para me querer fazer assistir ao filme Joy, certo? Porém, nas coincidências da vida, meu filme preferido com a atriz é O Lado Bom da Vida (2012), que também foi dirigido por David O. Russel. Esse fator com certeza influenciou no tanto que eu gostei dessa obra cinematográfica, mas de forma inconsciente, já que apenas vim a descobrir isso enquanto escrevia essa resenha.

Como se não bastasse, um dos papéis principais em Joy ficou com o ator Bradley Cooper, que também participou do elenco de O Lado Bom da Vida e formou par romântico com a Jennifer. Como assim? É muita coincidência para pouca eu! 

Veja também:

2 comentários

  1. Oi Karol! Primeiramente, obrigada por me indicar à TAG, tentarei responder <3
    Sobre esse filme, eu estou querendo assistir principalmente por causa da J.Law, mas sua resenha me deixou ainda mais interessada pela história da personagem <3

    Beijos, Vickawaii
    http://finding-neverland.zip.net

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Victória! Eu amo esse nome, haha. E de nada, estarei ansiosa pelas suas respostas, adoro o seu blog!
      A Jenn é maravilhosa mesmo, não é? Sou apaixonada por essa atriz, mas pode assistir Joy tranquilamente que o filme está muito bom, não terá arrependimento nenhum!

      Beijos~ <3

      Excluir