Tiffany lança I Just Wanna Dance e eu não sei lidar!


O maravilhoso canal da SMTown liberou nesse belíssimo meio-dia de uma terça-feira o excelentíssimo vídeo clipe para I Just Wanna Dance, faixa protagonista do primeiro álbum de trabalho solo de Tiffany - vulga minha esposa, dona de tudo o que um dia já foi meu.

Desde ano passado os burburinhos para sua carreira singular começaram a ganha  espaço na mídia, seguido da confirmação e, claro, da minha prévia morte. Justamente nessa semana ocorreu também o lançamento de Woohyun (Infinite, meu ultimate masculino, aliás) como solista. Como lidar com duas perfeições dessas de uma vez só? Não tem como, simples assim.

De qualquer modo, retenho-me a comentar exclusivamente sobre a música de minha mulher por leves (lê-se: fortíssimos) motivos de preferência e satisfação pessoal. Sou fã de Girls' Generation desde 2010, Tiffany tornou-se minha soberana em meados de 2012, com quase quatro anos sofrendo por esta jovem moça, meio impossível resumir-me em apenas um ou dois míseros parágrafos para analisar e comentar tudo o que este clipe teve a me oferecer. 


Primeiramente, preciso desabafar sobre o quão bela ela é/está. Sou a maior suspeita ao falar dessa mulher, uma vez que meu amor por ela é praticamente inexplicável e a idolatro inevitavelmente, mesmo que passe a maior parte do tempo xingando-a - minha forma nada carinhosa de demonstrar afeto. Nem loira, nem ruiva e nem exatamente morena, mas esse tom de castanho claro ou sei-lá-que-cor-é-essa combinou muito bem com ela e, graças a Deus, Miyoung está de franja. *insira a flor da gratidão aqui*

Com o visual/figurino beirando o fofo e o sexy simultaneamente, sem apelar para nenhum dos lados, o clipe rodeia a suavidade e a juventude com cenas ao ar livre, quartos e lanchonetes. Sim, amores, estamos livres das caixas da SM, quais espero não voltar a ver tão cedo. Assim, o vídeo torna-se algo extremamente apreciável, ótimo para gifsets do tumblr - qual já rebloguei vários, não perco tempo mesmo.

Para quem acompanha a vida pessoal da cantora ou pelo menos confere com certa frequência suas redes sociais, é fácil notar quanto os elementos presentes em seu MV remetem a seus gostos. Desde o figurino rosado à toda estética em si, está tudo a cara da Tiffany.



Ainda sobre a qualidade visual do clipe, não consigo disfarçar o quanto o excesso de efeitos me irritaram. Tudo rosa, tudo azul, tudo em escala de cinza, tudo com filtros similares ao do Instagram, tudo normal e repete o processo ao longo dos três minutos e trinta e cinco segundos. Exagero. Ao menos as cenas eu azul eu cortaria, pois ficaram totalmente a parte da paleta principal.

Ao menos em minha concepção, este vido foi até mesmo inspirador. Algumas ideias para fanfics ou pequenas histórias aleatórias surgiram em minha mente assim que o assisti pela primeira vez, aprisionando, modificando e melhorando ainda mais tais pensamentos a cada vez que o revi - aliás, já deve ter passado das vinte vezes. Viciada? Talvez.

Quanto à canção, a artista acaba revelando uma nova face que ainda não havia sido explorada em sua carreira junto ao grupo Girls' Generation. Mais uma vez citando o quanto de si foi depositado neste trabalho, acho digna a comparação da faixa com músicas de artistas americanas como Ariana Grande e Carly Rae Jepsen, quais são ídolas de nossa Tiffany.

Não que eu goste ou deixe de gostar destas possíveis referências, sou neutra em relação a ambas cantoras, mas aprecio que, assim como Taeyeon, Miyoung possa estar produzindo músicas que tenham mais a ver com ela, não apenas coisas empacotadas para um grupo como um todo. Imagino que ela esteja muito feliz com isso e, como fã, fico feliz por ela e com toda certeza a apoiarei. 


Convenhamos que Tiffany passa longe de ser uma boa dançarina, mas que vale a pena por seu esforço. Achei suavemente engraçado todos os passinhos envolvendo perna levantando/perna abaixando, mas não entendam isso como algo ruim.  Apesar da música se chamar "Eu Quero Dançar a Noite Toda", não são necessários passos elaborados, pois como diz a letra da música, "apenas quero me sentir eu mesma".

Já que resolvi falar sobre sua tradução, aproveito este parenteses para agradecer que não é uma música de amor. No máximo, fala sobre o amor próprio. "Prefiro me embriagar do que estar imersa em um filme triste." prova o quão bebum Tiffany é e que ela se orgulha disso. Brincadeiras a parte, a honestidade presente na canção, o "verdadeiro eu" da artista, tudo pode ser sentido e, para os fãs, é até comovente.

Voltando um parágrafo apenas para a finalização desta ideia, a dança combina muito com o conceito em si. Dançar nas ruas, revelar sua verdade, a liberdade, até mesmo aos toques de "anos 80" e discoteca que foram discretamente adicionados tanto ao vídeo como a música. Confira aqui um pequeno trecho do ensaio da coreografia.



Sobre o mini-álbum, seu lançamento foi feito junto ao do clipe de I Just Wanna Dance no Youtube. O trabalho de mesmo nome acompanha esta e mais outras cinco faixas: Talk, Fool, What Do I Do, Yellow Light e Once in a Lifetime - todas seguindo o mesmo estilo da principal. O CD ficou esplêndido e vale a pena ser conferido na íntegra, tanto que pretendo até mesmo comprá-lo em sua versão física (ainda mais bela graças ao photobook divino). 

Por fim, I Just Wanna Dance destaca-se por sua simplicidade e competência como boa produção em debut solo - tanto visual quanto auditiva. Não me decepcionei em momento algum, Muito pelo contrário, estou orgulhosa e até mesmo assustada com o nível de qualidade que fora atingido, foi uma surpresa e tanto. Com o reconhecimento prévio de Tiffany e o bom desenvolvimento deste trabalho, é sucesso garantido para a garota - com todos os seus méritos. 

Novamente deixando meu lado tiete falar mais alto, desejo a mesma tudo de bom nesta nova fase de sua carreira. Continuarei a observar cada passo dado, agora com uma trilha sonora deslumbrante de seis hinos para incluir em meu cotidiano. Peço perdão pelas delongas em todo o texto, mas justifico-me pela necessidade em pronunciar-me sem policiamentos a respeito deste novo pedacinho da minha vida.

Qual sua opinião a respeito deste lançamento? O que você espera de Tiffany em sua carreira como solista? Deixe nos comentários e vamos dialogar um pouco mais!

Créditos dos gifs: tellmeyourwish

Veja também

4 comentários

  1. Eu curti, a pegada dessa música realmente tem o meu gosto, ela transita de forma leve entreo cute e o sexy, como você disse eu curti o som e loga agora que eu estou querendo musicas novas para ouvir. ja tinha visto a postagem mas não tinha dado para comentar.
    bjs
    Otome Game br e +

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O álbum está excelente, Tainá!
      Vale a pena ouvir ele inteiro. <3

      Excluir
  2. Como não sou ligada em Girls’ generation não sei ao certo quem ela é :S... mas estou encantada com a beleza dela, uau... essa cor de cabelo ficou muito diva... e também essa musica já foi para play list o//
    Já faz um bom tempo que não venho aqui, que saudade desse canto.
    Ótimo final de semana
    Kissu

    www.watashinosekaibykrol.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sou fã de carteirinha do Girls' Generation, então sou bem suspeita ao falar de qualquer uma delas, rs, ainda mais da Tiffany por ser minha integrante preferida.
      Andei um pouco ausente do blog esses dias mesmo, problemas pessoais, sabe como é, né? Estou me readaptando aos poucos.

      Kissus!

      Excluir