Destaque da Semana: A Parte que Falta

by - fevereiro 22, 2018


"A Parte que Falta" chegou ao Brasil em 9 de fevereiro pela Companhia das Letrinhas, selo infantil da Companhia das Letras, e tem recebido muito destaque entre as obras mais vendidas e comentadas do mês de fevereiro, feito incrível para um livro voltado ao público mirim, que, na verdade, acabou conquistando leitores de todas as idades.

Esta obra de Shel Silverstein narra a história de um ser quase circular, visivelmente incompleto, que inicia sua jornada pelo mundo em busca da parte que lhe falta, de uma forma que seja capaz de se encaixar perfeitamente a ele.

Divulgação/Companhia das Letras
Em sua procura, entretanto, passa a entender que a nossa felicidade não está nos outros, mas em nós mesmos, passando pela principal mensagem do livro: não precisamos de ninguém para nos sentirmos completos, somos completos em nós mesmos. Assim, o livro entra um debate indireto com as crianças, abordando de forma subjetiva por meio de uma obra infantil a dependência de relações amorosas e o quanto achamos precisar de nosso parceiro(a) para nos sentirmos plenamente felizes.

Não só de relacionamentos, entretanto, mas também de amizades. De coisas. De seres. A nossa humanidade que sempre busca mais, e mais, e mais, e nunca se contenta com o nosso estado atual, e sempre acha que vai estar faltando algo, pois é difícil perceber que já somos completos.

Com isso, embora seja voltado para o público infantil, a obra ganha grande destaque entre os leitores jovens e adultos, que se identificam com a temática discutida e acabam aprendendo muito com o livro, independente da idade já estar um pouco mais avançada. 


A youtuber, jornalista e também escritora Jout Jout publicou em seu canal no YouTube uma leitura tocante, para lá de especial e comentada do livro, com toda a sua sensibilidade sobre a obra que muito condiz com o conteúdo de seu canal, e seu enredo que, nas palavras da própria, resume que "a vida é essa grande preencheção e despreencheção de buraquinhos que faltam". Dá pra explicar melhor que isso? Eu acho que não.

Veja também:

0 comentários