Halloween na faculdade? Experiência enriquecedora!

by - novembro 09, 2018


Em 31 de outubro comemora-se o Halloween, conhecido no Brasil como o Dia das Bruxas. De origem irlandesa e hoje popularizado na cultura norte-americana, ainda é pouco praticado por aqui, mas os alunos do curso de Letras da Uniso tiveram a oportunidade de vivenciar uma noite temática e especial como forma imersiva de aprendizagem - e eu estava lá!

Com o apoio da Prof.ª Dr.ª Daniela Aparecida Vendramini Zanella, de Literatura Norte-Americana, realizou-se na quarta-feira de Halloween um evento cultural com o objetivo de estudar na prática a cultura estadunidense que cerca a data. Para tal, alunos do último período de Letras fantasiaram-se e apresentaram aos colegas pesquisas e performances artísticas relacionadas às aulas anteriores e à temática, ligadas ainda ao universo particular de cada estudante – além de muita diversão, doçuras e travessuras.


Sem ficar de fora, levei para o evento duas pesquisas que me foram muito prazerosas para mim: a primeira delas, apresentada em grupo com minhas colegas Jéssica Stephani e Stela Cruz, davam forças ao nosso amor pelo autor Stephen King, o Mestre do Terror. Com um breve resumo de suas principais obras e influências do escritor em outros meios, como as artes visuais, seguido de um quiz que levantou o espírito competitivo da turma. 

A segunda performance, agora individual, consistia em uma apresentação sobre O Mundo Sombrio de Sabrina, nova série Original Netflix já comentada aqui no blog, com foco em três questões que se relacionam ao conteúdo apresentado na faculdade: contexto histórico, intertextualidade e linguagem. Desse modo, conversei com a turma sobre a ligação entre a série e fatos históricos da cidade de Salem, enaltecendo ainda o modo como a série traz referências literárias, como citação à incrível Virginia Woolf, e as expressões linguísticas referentes a religião pagã que se apresenta na narrativa.

É muito prazeroso quando a faculdade nos permite levar um pouco de nós mesmos para a sala de aula. Conversar com os demais alunos sobre uma série tão querida por mim - e ganhar nota por isso! - foi extremamente enriquecedor. Isso sem contar, ainda, o momento de pós-TCC que vivenciava. Quebrar com o método tradicional de ensino em uma fase tão cansativa como essa serviu para renovar forças que já haviam deixado de existir há alguns semestres.


Dentre os outros destaques da noite, a aluna Maria Alice Matsuo Tijon, contadora de histórias, levou à turma uma carismática interpretação de O Gato Preto, conto de Edgar Allan Poe, ator norte-americano que foi objeto de estudo da disciplina de Literatura Norte-Americana. Sobre a experiência, ela comenta: “Ter um espaço para contar uma história foi muito enriquecedor para meu desenvolvimento, mas mais que isso, foi importante também para aquecer os laços, já que considero que histórias são presentes e presenteei essa turma linda com um conto que apesar de ser de horror, foi preparado com muito amor.”

Em outro momento, o discente Lucas Häkkan apresenta a cultura religiosa neopagã que há por trás da data. “Fiquei surpreso pela boa recepção da professora e dos colegas quanto ao assunto e adorei ver que há muitos interessados no trabalho que nós, pagãos, oferecemos como ajuda para as pessoas: fiz breves consultas com cartas de Tarot com quem desejasse saber sobre o futuro ou quisesse receber uma mensagem de conselho para sua vida.”, comenta sobre a própria performance.


Häkkan ainda destaca a importância de levar temas como este para a sala de aula: “É muito importante que a Universidade, assim como as escolas, abram espaço para esse compartilhamento de culturas, sejam elas quais forem: muitos assuntos, como a bruxaria e o ocultismo, precisam ser desmistificado na sociedade, para que possamos viver com mais aceitação e menos preconceito, e essa mudança precisa começar no âmbito da Educação.”, afirma.

Apresentações sobre a origem da data comemorativa, jogos de perguntas e respostas e sobre o ilustre diretor Tim Burton, que trabalha em cima da temática em suas produções audiovisuais, também marcaram a noite. O engajamento da Prof.ª Dr.ª Daniela Aparecida Vendramini Zanella em inserir seus discentes em uma atividade cultural como forma de aprendizagem foi muito elogiado pelos estudantes envolvidos.

Pode-se dizer que a aula especial foi uma excelente oportunidade para os alunos compartilharem não só seus gostos pessoais, mas conhecimento. Com a imersão na temática e a liberdade de escolha de suas pesquisas, o aprendizado torna-se muito mais prazeroso, até mesmo divertido. Coincidentemente realizada no último semestre do curso, esta enriquecedora atividade cultural deixará boas memórias para estes estudantes de Letras da Uniso, posso afirmar em nome da turma. Foi uma noite encantadoramente sombria e valiosa.

Veja também:

1 comentários