5 versões animadas de Alice no País das Maravilhas

01 fevereiro


Histórias baseadas no livro de Alice no País das Maravilhas sempre são boas ideias, ainda mais quando transformadas em desenhos animados, desde produções oficiais e de alto orçamento a vídeos amadores com artes de fãs. Veja, logo abaixo, cinco animações inspiradas em Alice que se destacam por qualidade, peculiaridade e criatividade. 


Alice no País das Maravilhas (1951)
A 13ª longa-metragem da Disney também é uma adaptação de ambos romances de Lewis Carroll. Anteriormente, o estúdio já havia feito uma série que misturava animação e live-action, Alice Comedies, lançada em 1924, mas apenas resolveu produzir um filme após o sucesso de "Branca de Neve e os sete anões', primeiro longa animado da Disney.

Com direção de Clyde Geronimi, Wilfred Jackson e Hamilton Luske, foi duramente criticado pela imprensa pelas liberdades tomadas com a obra literária, não atraindo o público que esperava e, inclusive, não atendendo às expectativas de seus criadores.

Apesar do fracasso, foi indicado ao Oscar na categoria Melhor Trilha Sonora na edição de 1952 e, hoje, é considerado um dos maiores clássicos da Disney, com três dublagens brasileiras e remasterizações, sendo a mais recente sendo lançada em 2011 em comemoração aos 60 anos de lançamento, com restauração digital e versão blu-ray.


Alice no País das Maravilhas (1966)
Também chamado de "O que é uma boa criança como você está fazendo em um lugar como este?", essa outra versão animada e musical de Alice foi produzida pela Hanna Barbera, empresa conhecida pelo lançamento de animações clássicas como Scobby-Doo, Flinstones e Jetsons. Nesta adaptação para televisão, a protagonista precisa ler o livro de Lewis Carroll para um trabalho escolar e acaba no País das Maravilhas, onde encontra com versões pouco convencionais das criaturas da obra original, incluindo a participação de personagens de Flinstones em seu filme.

Para este reconto, a jovenzinha não cai em um buraco, como na maioria das histórias, mas sim na televisão, o que cabe como uma crítica à infância da época que, com a popularização dos aparelhos televisivos nos lares americanos, passavam menos tempo brincando e mais tempo assistindo à programação.


Alice no País das Maravilhas (1983)
Essa série animada foi produzida e transmitida no Japão entre os anos de 1983 e 1984, com um total de 52 episódios exibidos para a televisão nipônica, sendo popular, principalmente, em países europeus. Até o episódio 26, narra de forma bem semelhante a obra original, Alice no País das Maravilhas, e a partir deste capítulo passa a abordar os acontecimentos de Através do Espelho, livro sequência também escrito por Lewis Carroll.

Ao contrário dos livros, entretanto, o desfecho do anime não se dá quando a garota acorda apenas ao fim de toda a aventura, mas sim a cada episódio, dividindo a história original da obra literária em vários sonhos da garota.

Internacionalmente falando, a série chegou aos Estados Unidos pela metade, apenas os episódios que abordam o primeiro livro, e não fez tanto sucesso dada a preferência americana pela versão da Disney. Chegou a Portugal em 1987 com direito a versão dublada, fidelizando o público do país a ponto de, anos mais tarde, editar a série em DVD, lançada pela Planeta deAgostini. Nunca chegou ao Brasil, entretanto.


Alice no País das Maravilhas (2011)
Essa é uma produção da Vídeo Brinquedo, empresa brasileira produtora de animações em baixo orçamento, para a sua série de Contos de Fadas. O trabalho está disponível de forma gratuita e completa no YouTube oficial da distribuidora - essa que, durante seu período de atividade, foi vista de forma pejorativa por suas animações controversas que se assemelhavam tanto a produções de grandes empresas que acabou envolvendo-se até mesmo em acusações de plágio.


Alice to Zouroku (2017)
Baseado no mangá homônimo de Tetsuya Imai, essa obra japonesa é uma versão bem diferente do País das Maravilhas que estamos acostumados a ver, mas com claras inspirações e referências para a criação de seus personagens.

Neste enredo, a existência de seres humanos com superpoderes é algo a ser mantido em segredo enquanto instituições pesquisam sobre estas pessoas, conhecidas como "Sonhos de Alice". Acompanhamos a história de Sana, uma garota órfã que era testada em um centro de pesquisas, mas que conseguiu escapar das instalações para a cidade de Shinjuku, onde é adotada por um senhor e precisa se adaptar a vida no exterior de um campo de experimentos.

Quais dessas versões você já conhecia?


Leia também:

2 Comentários:

  1. Oi!
    Nossa, eu amo muito a história de Alice no País das Maravilhas, mas não conhecia nenhuma dessas animações além da feita pela Disney e desse anime de 2017, que por sinal eu não sabia que fazia referências ao livro, achava que não tinha nada a ver. Deu vontade de assistir todos! Adorei o post!
    Beijos~

    Armazém Otome

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii!
      Esse anime de 2017 não é exatamente uma adaptação do livro, como a versão japonesa dos anos 80, mas ele faz referências a obra original com nomes de personagens, releituras dos próprios personagens (os gêmeos, o coelho) e até mesmo o País das Maravilhas, mas tudo bem mais subjetivo. Adorei muito o modo como conseguiram criar uma nova história, completamente diferente, mas ainda inserir alguns elementos de forma que o anime quase vira um jogo de identificar o que remete ao livro e o que é conteúdo novo. Muito ótimo! HUHAUHAUHA

      Obrigada pelo seu comentário, fico muito feliz que tenha gostado! <3

      Excluir

Assista no YouTube