A Ligação (Call): entenda o final do novo filme coreano da Netflix

by - 27 novembro

A Ligação (Call): entenda o final do novo filme coreano da Netflix

A Ligação (Call), filme sul-coreano de suspense e terror psicológico, chegou à Netflix em 27 de novembro de 2020 e agradou o público geral, mas seus últimos minutos trouxeram um plot twist bastante confuso que deixou vários espectadores sem entender direito o final do filme estrelado por Park Shinhye (#Alive) e Jeon Jongseo (Burning). 

Mas antes, atenção: essa publicação está cheia de spoilers de A Ligação (Call)!

Na trama, Seoyeon (Shinhye) acaba de se mudar para um casarão antigo, onde começa a receber estranhas ligações de uma mulher chamada Yeongsook (Jongseo), que está correndo perigo pois sua madrasta, uma xamã, a tortura e deseja matá-la. Conforme conversam, as duas descobrem que estão na mesma casa, mas em linhas temporais diferentes: Yeongsook está em 1999, Seoyeon em 2019. 

A Ligação (Call): entenda o final do novo filme coreano da Netflix

Para tentar ajudar a sua nova amiga, Seoyeon usa a internet para pesquisar o que aconteceu 20 anos atrás e livrar Yeongsook da morte iminente. Assim, Yeongook, que sofre de transtorno de borderline, mata sua madrasta em legítima defesa e começa uma série de assassinatos alegando que nunca se sentiu tão viva, mas precisará de Seoyeon e seus conhecimentos do futuro (nosso presente) para escapar da polícia. 

Seoyeon tenta recusar, mas a garota do passado a lembra que salvou seu pai ao evitar um acidente doméstico e está ameaçando matá-lo se ela não retribuir o favor. Seoyeon tenta enganá-la, levando-a a um local que ela, no presente, sabe explodiu exatos 20 anos atrás, mas Yeongsook escapa em um ato de sorte e mata o pai da garota como vingança. 

A pequena Sooyeon de 20 anos atrás, uma mera criança, é feita de refém enquanto Yeongsook tenta levar a mãe de Sooyeon até o casarão como sua nova ameaça para que a "garota do futuro" a ajude a fugir da polícia, enquanto nas cenas do presente Sooyeon tem um encontro nada amistoso com Yeongsook, que sobreviveu anos atrás e não pretende deixar sua ex-amiga de telefone viva.


Enquanto tenta escapar de Yeongsook, Sooyeon consegue conversar com sua mãe do passado por meio de uma ligação, avisando-a do perigo e fazendo-a resistir, mas ambas Yeongsook e a mãe de Sooyeon acabam mortas na batalha. Como Yeongsook morreu, Sooyeon consegue escapar e corre para o cemitério, onde chora no túmulo de sua mãe, mas logo em seguida sua mãe aparece atrás dela, viva, confundindo o espectador enquanto o guia a um final feliz em que Sooyeon e sua mãe sobrevivem.

Entretanto, enquanto os créditos começam a subir, pequenos flashes do que aconteceu logo em seguida são exibidos, confundindo o espectador quanto ao fim do filme A Ligação. Estas cenas revelam que a Youngsook do presente contatou sua eu do passado via telefone para avisar que a mãe do Sooyeon e o policial estavam a caminho e que isso poderia matá-la, possibilitando a sua versão do passado de se proteger melhor para que ela possa sobreviver.

Na cena em que Yeongsook do passado aparecia morte no chão após uma alta queda mostra ela de olhos abertos, sugerindo que, nesta realidade, ela sobreviveu. A mãe de Sooyeon, entretanto, não está mais na cena, o que sugere que ela tenha fugido com a pequena Sooyeon, consequentemente alterando a linha temporal atual de modo que elas pudessem se reencontrar no cemitério no presente, conforme exibido na cena passada.

A Ligação (Call): entenda o final do novo filme coreano da Netflix

Então, um novo flash do cemitério mostra a mãe de Sooyeon desaparecendo, o que sugere que de alguma forma a Yeongsook do passado, com a ajuda de sua eu do presente, conseguiu matá-la. A última cena mostra Sooyeon adulta sendo torturada no sótão do casarão. 

Estes acontecimentos, entretanto, são bem vagos e mal explicados, podendo ser apenas sugestões de linhas temporais alternativas que mostram o que aconteceria caso Yeongsook tivesse sobrevivido. Temos então, novamente, duas realidades entrando em conflito: em uma delas, Sooyeon e sua mãe vivem felizes após todos os acontecimentos, em outra, a mãe morre e Sooyeon é capturada por Yeongsook. O filme, entretanto, não explana qual delas é a verdadeira ou o que desencadeou essa variação dos fatos, possibilitando diversas análises (e muita confusão). 

Finais abertos como este nem sempre são muito em recebidos pelo público, mas com essas duas possibilidades apresentadas pelo diretor Lee Chunghyeon, cabe ao espectador interpretar o final da obra e dos perigos que mexer com acontecimentos do passado podem acarretar no nosso presente. Para tirar suas próprias conclusões, assista ao filme A Ligação (Call) na Netflix.

Veja também:

48 comentários

  1. É, na verdade, esse final de filme com esse suposto final alternativo não possui o menor sentido e acredito que o diretor colocou ele apenas para satisfazer as pessoas que não gostam de finais felizes. Segundo os critérios estabelecidos, no próprio filme, não é possível fazer algo como "voltar no tempo", apenas mudar eventos pontuais. No caso, se a mãe da gúria saiu viva e está presente no tempo atual então a gúria killer (Yeongsook) deveria estar morta.
    A Killer do presente ligando pra killer do passado e contando que ela seria morta é totalmente ridículo e sem contexto, pois ela já estaria morta então ela nao deveria existir no presente. Uma falta de atenção enorme.
    Exceto se: A guria killer do presente pegou o caderno antes da guria que...
    ~Ah, deixa pra lá. nem vou tentar teorizar nesse filme não~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sua linha de raciocínio é bem parecida com a minha.

      Excluir
    2. Tbm concordo. Sem contar que em momento algum o filme mostra que é possível ligar do futuro para o passado. É sempre do passado para 20 anos no futuro. Esse final foi uma tentativa de colocar um plot twist, mas acabou cagando o filme. :(

      Excluir
    3. Concordo com você. Esse final alternativo confundiu e prejudicou todo o entendimento sobre a obra. Porque como você já falou, o que acontecia no passado não podia ser mudado por mais de uma vez, considerando os próprios acontecimentos. E não havia possibilidade de futuro ligar para passado. Ou foi a do passado que ligou para o futuro e teve sorte de ela mesma atender?

      Excluir
    4. Nesse filme os dois tempos, 1999 e 2020, ocorrem de forma simultânea, não é que 1999 já aconteceu e estamos vendo o resultado em 2020, é que 1999 está acontecendo e a cada influência do futuro no passada altera o presente.

      Ao longo do filme essa perspectiva é mostrada diversas vezes com as incessantes alterações na linha do tempo de 2020. Elas explicam que o fato da mãe aparecer viva na cena final não depende necessariamente de que a serial killer tenha morrido, mas sim da possibilidade da queda não ter matado a mãe. Assim como a parte em que a serial killer contata ela mesma, pois o momento em que ela "morre" é posterior, no momento em que elas se falam a Yeongsook de 28 anos ainda estava viva, portanto a de 48 também.

      O filme mostra isso várias vezes pra poder chegar na cena final, duas delas que deixam isso bem claro e ilustrativo é:

      1: O pai. Mesmo que ele tenha sido salvo do incêndio acidental, anda assim ele foi morto no mesmo ano, o que implica que ele não deveria aparecer de forma alguma em 2020, já que ele morreu em 1999. Mas ele aparece, porque os dois tempos estão ocorrendo de forma simultânea.

      2: A inscrição "Atenda o telefone" no piso da casa, que é escrita em 1999 e aparece em 2020, mas após a ligação ser atendida Yeongsook apaga a inscrição em 1999 e ela some ao mesmo tempo em 2020.

      O final é possível, mediante a proposta do filme. Mas na realidade, a verdadeira ponta solta é desaparecimento da serial killer de 2020, pois isso sim indicava a morte da mesma em 1999.

      Portanto uma possibilidade é de fato uma expansão de linhas do tempo/universos, seria uma relação de possibilidades. Mas é confusa ainda assim. Acredito que tenha sido uma jogada pra lançar a possibilidade de uma continuação apenas.


      Ah, e sobre a ligação, não mostra se foi a do futuro que ligou pro passado. O que provavelmente aconteceu foi a Yeongsook do passado ligando pro futuro para se comunicar com a Sooyeon, mas a sua eu de 2020 atendeu. Isso é possível porque também foi explicado no filme, primeiro que a única pessoa no futuro que é consciente das alterações na linha do tempo é a própria Sooyeon, por isso é pelo ponto de vista dela que nós expectadores vemos a ocorrência dos fatos, e quando há mudança ela sempre permanece no mesmo lugar em que estava, bem como as coisas(o telefone). Por exemplo, quando o pai é assassinado no passado ela estava com ele no futuro, dirigindo em um túnel, quando a mudança acontece ela continua no túnel, porém o pai e o carro do pai somem, pq ele já não fazem parte dessa realidade. O telefone, estava desligado na casa que era a que eles moravam no presente, mas com a morte do pai a casa volta a ser um lugar abandonado e o telefone volta a estar lá como sempre esteve. A mesma coisa acontece para a serial killer entrar em contato com ela mesma. É uma realidade e que ela está viva e não foi pega pelos assassinatos, então ela nunca saiu da casa, e provavelmente ela preservou o telefone aguardando o momento em que ela do passado ligaria, assim ela poderia atender. A vantagem dela é que nessa realidade em que ela está viva e livre, ela cresceu com a lembrança de tudo que aconteceu, portanto ela teve tempo para entender como a alteração no tempo acontecia e quais possibilidades poderiam afetá-la, portanto ela deve ter discernido a possibilidade em que ela morreria e usou a oportunidade que teve para dar um aviso pontual que pudesse salvá-la.

      Excluir
    5. Escrevi mais do que pensei que escreveria, acho que me empolguei kkkkk

      Excluir
    6. uau, explicação perfeita. estava achar que talvez existessem erros no filme (especialmente na parte em que a serial Killer do presente ia matar a miúda e de repente desapareceu quando ela no passado caiu das escadas. assumi logo que tinha morrido mas faz sentido quando pensamos que de facto só a miúda e que permanecia sempre no mesmo sítio quando os eventos alternavam. a Killer do passado simplesmente desapareceu naquele momento porque estaria noutro sítio , no entanto viva). a sua explicação está no ponto e fez se luz. obrigada :)

      Excluir
    7. Bom, a killer do presente falou com a do passado pq na verdade, ela fez a ligação antes de lutar com a menina, então existiram 2 dela no presente, uma morreu, e a outra atendeu a ligação.

      Excluir
    8. achei o filme mas viajado que já assisti, tinha um potencial enorme porem se perdeu completamente na linha temporal. por fim, acabou indo de extraordinário para simplesmente nada haver com nada. e fim, assim mesmo como esse comentário.

      Excluir
  2. Achei que foi um erro o final pois pelo que entendi no filme, não tem como alterar após o que acontece no passado, somente no presente (alterando pelo passado). Se a assassina lá morreu com a queda no passado, fazendo com que no presente ela tenha desaparecido (naquela cena no presente mostra que ela desapareceu pq "morreu"). E como já aconteceu no passado, não tem como mais alterar, a não ser que tenha outra conexão anterior a esse fato. Mas não deveria ser mais com a assassina do presente (pq se ela morreu no passado, não tem como estar presente no presente), sim com outra pessoa antes da protagonista para tentar mudar isso. Enfim.. achei confuso e não gostei desse final

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também não gostei do final, May. Parece que tentaram fazer um plot twist ali, mas não funcionou, só ficou confuso mesmo.

      Excluir
    2. Exato, foi o mesmo que entendi. Foi uma jogada que não faz parte do que o filme apresentou, ou indica que algumas informações não foram passadas. Então só pode ser ou uma ponta solta ou uma gatilho pra continuação do filme, onde as lacunas vão ser preenchidas.

      Excluir
    3. Na verdade você que não entendeu... a única pessoa a permanecer no mesmo "local" quando ocorre mudanças é a personagem principal. Portanto, no final a assina não morreu quando caiu da escada, mas o fato da personagem principal ter incentivado a mãe a lutar alterou o presente (onde a mãe estaria morta) e por isso a assassina "desapareceu" na cena. Em resumo, ela ter desaparecido não significa que ela morreu, significa que a mudança (a mãe ter continuado viva) alterou a realidade dela, e nessa nova realidade ela não estava na casa perseguindo a personagem principal, estava em outro lugar (viva).

      Excluir
    4. O filme é sobre linhas temporais, a assassina fez uma ligação antes de lutar com a menina, falou com ela mesma no passado, e isso abriu a nova linha temporal, que no caso, ela sobrevive. E a outra dela que lutou com a mãe, morreu. Esse final não foi um erro ele apenas foi um final em que a assassina ganha, pois ela fez a ligação antes da luta.

      Excluir
  3. Esse filme é incrivelmente maravilhoso! Adorei tudo, apesar de o final ser um pouco confuso, eu achei a ideia do filme uma das melhores que existiram..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também amei o filme, só tenho críticas em relação ao final mesmo que deixou a desejar, mas o restante foi incrível!

      Excluir
  4. Acho que esse final confuso pode dar brecha para uma sequência !! O quê vcs acham?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. também acho que foi essa a proposta, é o mais lógico

      Excluir
  5. O final foi um erro gigante diante daquilo que a própria narrativa se mostrou até o momento, se ela desapareceu no futuro na hora que ia esfaquear a menina e morreu no passado como estaria no futuro de novo pra ligar pra ela? Largaram mão da lógica pra fazer um plot twist ruim o que é uma pena porque todo desenvolvimento foi muito bom.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só que essa parte não é ela estando no futuro "de novo", foi um flashback daquele momento em que a Sooyeon estava na casa e mostra que a serial killer estava no telefone, mas a gente não vê o que ela fala, só vê a Sooyeon procurando o telefone, em vão.
      Mas realmente o fato dela ter desaparecido em 2020 indica que ela morreu em 1999, seguindo a narrativa do filme, esse foi o furo.

      Excluir
    2. Na verdade eles quiseram copiar o filme "Alta frequência", porém nesse filme o pai está no passado e o filho no futuro, pessoas diferentes,foi bom, mas esse, a ligação, não tem nada a ver, pois ela já estaria morta, então nao existiria no presente.eu particularmente não gostei

      Excluir
    3. Segundo um outro cara aqui, ela não morreu. A do presente desaparece pq alterou a linha do tempo quando a mãe brigou e conseguiu fugir. Ela não desaparece porque está morta, ela desaparece pq a linha do tempo foi alterada e ela foi parar em outro lugar. Logo, não eh um furo

      Excluir
  6. Pelo que entendi, a única explicação seria como se fosse a série flash.
    São 2 mundos diferentes, um onde a serial killer morre e o outro onde a serial killer continua com a menina.
    O que não faz sentindo é a conexão da linha do tempo entre eles.
    Já que são 2 mundos diferentes, o tempo de cada mundo também é individual...ou seja. Não faz sentindo a serial killer que sobreviveu no mundo 1, querer influenciar na serial killer que se fodeu no mundo 2.

    ResponderExcluir
  7. Vocês acham que vai ter parte 2 ???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se tiver vai forçar a barra. Corre um grande risco de ser uma bela porcaria.

      Excluir
  8. O problema é que hoje em dia parece ser obrigação todo filme ter um plot, daí acaba acontecendo esse tipo de coisa, um ótimo filme que não precisava dessa reviravolta sem nexo.

    ResponderExcluir
  9. O filme é muito confuso, repleto de decisões idiotas, o filme foi muito bem produzido eu só estou indignado com as decisões tomadas pelos personagens, pq eu sou desses FDS.

    ResponderExcluir
  10. Para quem não entendeu a cena do cemitério só aconteceu durante o desmaio pela queda das duas. A serial killer acorda e mata a mãe e mantém a menina presa no porão por 20 anos denhando a última transformação na realidade. E sim só faz sentido pois o filme não respeita o paradoxo em nenhum momento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente isso até que em fim alguém que entendeu também

      Excluir
    2. Tbm pensei nessa possibilidade,da serial killer manter a menina presa por 20 anos.

      Excluir
    3. Pensei na possibilidade. Contudo, se ela manter a criança presa, logo, a criança não vai ligar para ela no futuro e a killer e todos voltariam pra linha do tempo original. Qualquer coisa que ela faça para interferir na vida da menina, muda a dela também. De qualquer modo, achei um erro o final.

      Excluir
  11. Quanto ao final notei que a maioria aqui concorda que foi confuso e sentido. Outra coisa estranha é "matar" pessoas com o pó do extintor. Que eu saiba isso não acontece! Além disso na cena que ela mata / tonteia o pai com o pó do extintor, ela está no mesmo ambiente e não sente nada. Achei isso um furo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade. Achei meio sem sentido matar com o pó do extintor. Nunca vi isso. Kkkk

      Excluir
    2. Nesse sentido, achei mais sem noção uma menina conseguir se livrar dos corpos e matar tantos com tanta facilidade. Já tentou mover alguém deitado? E mesmo pra esquartejar alguém não é algo fácil, é só ver nas investigações com as pessoas pegas como é um negócio difícil de lidar com os corpos... até porque depois que ela matou um policial (que sabiam que estava indo visitar aquela casa), seria muito difícil não haver mais buscas específicas na casa, mesmo que ela saísse impune de matar a mãe.

      O final é incoerente, pois ambas veem que uma atitude muda completamente a outra. Já na primeira grande mudança (em que o pai é salvo), tudo já teria mudado e ela nunca teria telefonado pra killer, encerrando a coisa =P

      Mesmo forçando um pouco a barra e fazendo com que ela ainda telefonasse, logo que ela perde o pai e a casa é abandonada, aí é certeza que ela jamais teria telefonado, pois a casa nem seria dela também. A única situação possível para isso seria a da criação de universos paralelos na mudança temporal, o que a gente vê que não acontece, pois as pessoas até mesmo deixam de existir, indicando que a linha é uma só.

      Excluir
  12. Na minha opinião o final deixa um gancho para um segundo filme.

    ResponderExcluir
  13. Acredito que deixaram essa dúvida no final justamente pra isso. Mas acho besteira fazer um segundo filme. Seria forçar demais.

    ResponderExcluir
  14. Trata-se da luta entre ego e alter ego da protagonista. As duas sao a mesma pessoa.
    Pai omisso que trai a mãe. Mãe agressiva. Na visão do ego {protagonista}, o pai e bondoso e mãe futill. Já na visao do alter ego {vilã}, o pai e um galinha e omisso e a mãe uma tirana.

    ResponderExcluir
  15. Na verdade eles quiseram copiar o filme "Alta frequência", porém nesse filme o pai está no passado e o filho no futuro, pessoas diferentes,foi bom, mas esse, a ligação, não tem nada a ver, pois ela já estaria morta, então nao existiria no presente.eu particularmente não gostei

    ResponderExcluir
  16. Minhas conclusões para saciar o nó feito na minha cabeça são baseados nisso:

    1. A Seoyeon, apesar do que aconteça e que mude a realidade, permanece no mesmo lugar, isso é mostrado na cena do túnel onde o carro some. Isso não necessariamente acontece com a Yeo;

    2. Sem ser a Seoyeon, quando algo no passado muda, objetos e pessoas também são transferidos. Vemos os vidros da casa voando, mas depois Seoyeon e lá estão os vidros. Talvez o contexto e a situação mudem. A memória de Seoyeon e Yeo não é modificada;

    Assim, chegamos na briga. De primeiro, vemos Seoyeon p(presente) lutando contra a vilã. Seoyeon p se tranca e fala com a mãe pelo telefone. A mãe consegue derrubar a vilã p e ambas sofrem com a queda. Nenhuma das duas morrem, mas a mãe de Seoyeon acorda e consegue resgatar a filha antes que a vilã se levante. Isso explicaria o final no túmulo com ambas vivas.
    Descobrimos, apesar de tudo, que no final da briga entre Seoyeon e a vilã que a vilã some. Alguns podem interpretar isso como a morte da vilã na queda, mas pode ter apenas mudado o contexto do presente. Como apenas a Seoyeon tem a capacidade de ficar no mesmo lugar, ela não sumiu da casa, mas a vilã pode ido para outro lugar nesse intervalo.
    O contexto pode ter mudado para a vilã que, em vez de brigando com a Seoyeon, decidiu pegar o celular a tempo na hora que a mãe e o policial aparecem na porta. Ela, como possui memória ainda mantida, conta tudo para a ela do passado, assim ela consegue matar a mãe e mantém a Seoyeon em cativeiro por 20 anos. Isso explica a cena do presente que Seoyeon aparece no porão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Está com bastantes erros de caligrafia, escrevi empolgada e lamento. Mas espero que tenha feito sentido.

      Excluir
  17. para mim seria uma mesma pessoa em delírio o tempo todo. Psicopata

    ResponderExcluir
  18. Eu tambem pensei q as duas seria a mesma pessoa o tempo todo no filme, uma esquizofrenica, eu não gostei desse filme o final foi uma bosta, a mãe no final aparece com cicratizes no pescoso e nas mãos, a vilã tbm tem as mesmas cicatrizes no mesmo lugar' eu não entendi foi nada kkkkk

    ResponderExcluir
  19. No meu entender é simples (apesar de ter dado um nó na cabeça para chegar a esta conclusão) Ela foi operada à cabeça como o início do filme refere e toda a narrativa do filme se passa apenas na cabeça dela que ficou afetada com a operação.
    A mãe morreu e ela não tratou das coisas para ser enterrada junto ao pai...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas que esta com problema na cabeça precisando fazer cirurgia é a mãe.

      Excluir
  20. O filme no geral é bom,mas com esse final eu nunca o indicarei a alguém. Pelo que eu entendi do final a vilã não chegou a morrer, mas deve ter ficado anos presa ou foragida. No futuro depois depois de anos ela sabia onde ir pra poder pegar o telefone e se comunicar com sua versão do passado que atenderia o telefone, aí ela iria falar o que iria acontecer. Dessa vez ela mataria a mãe da mocinha e de quebra iria torturar ela como vingança, contudo não vejo como a mocinha do presente escapar daquele porão. Não vejo continuação pra esse filme com essas cenas finais e por isso um filme que poderia ser excelente se torna frustrante.

    ResponderExcluir
  21. No meu ver, tudo não passou de alucinações de mente dela, eu acho que ela sofria com torturas com a mãe, a Killer era na verdade a própria mãe dela, o que causou essa bagunça na cabeça dela.
    Ela viu a mãe, matar o pai,o cara do morango e depois torturava ela.

    No final, ela inventou que teria matado a Killer, mas não matou...

    Kkkkl sei louco, mas na minha cabeça faz todo sentido e seguirei assim pra não enlouquecer com esse final sem pé nem cabeça

    ResponderExcluir
  22. A killer de 1999 sobreviveu à queda, se escondeu, e quando chegou em 2019, com 48 anos, na data q ela sabia que sua eu do passado ligaria para a prota, ela atendeu, convenceu sua eu e foram alterando a realidade juntas. Matou a tia, o pai, sequestrou e manteve a prota guria no porão... Ela desaparecer em 2020 qd ia matar a prota seria um furo, pq indica q ela morre em 99, mas já falaram aí e faz sentido, a queda não a matou, mas alterou a realidade no encontro das duas, ela desaparecer ali seria a killer aparecendo no presente em outro local, pq no passado ela se escondeu. Agora, antes da mãe e policial entrarem, ela ja ta avisada e ja pode matar logo os 2 com o extintor mágico kkkkkk tosco. Tudo só acontece pq ela sobreviveu a queda e esperou o ano de sua primeira ligação pra atender. Algum furo q eu n esteja vendo?

    ResponderExcluir