Casa Amor: Exclusive for Ladies, o remake coreano de De Pernas pro Ar que viralizou no Twitter

by - 17 janeiro


Protagonizado por Ingrid Guimarães, De Pernas pro Ar foi um popular filme de comédia nacional lançado em 2010. Além de conquistar uma trilogia, a fama do filme o levou a ganhar um remake sul-coreano, Casa Amor: Exclusive for Ladies, que não passa nem perto dos típicos dramas do país com seu humor pra lá de maduro. 

A trama é semelhante a da história brasileira: Bo Hee é demitida da empresa de brinquedos em que trabalha após cometer um erro estúpido. Na busca de uma nova oportunidade de trabalho, acaba se envolvendo nos negócios de sua vizinha, Nan Hee, que vende produtos eróticos.


Quem interpreta a protagonista é Cho Yeo Jeong, de Parasita, enquanto sua vizinha/parceira de trabalho é Clara, do drama Emergency Couple. O astro Go Kyung Pyo, de Reply 1988, também entra em cena. Entretanto, não espere a doçura dos dramas: a trama levou a sério o roteiro original e conta com cenas extremamente apimentadas, tanto que o filme recebeu classificação 18+ na Coreia.

Lançado em 2015 nos cinemas coreanos com o título de 워킹걸 (Working Girl), o longa nunca chegou a ser exibido no Brasil, mas pode ser encontrado em português por sites como o Movie Asian Fansubs.


Mas como um filme lançado há quase cinco anos voltou a parar na boca do povo? Tudo é arte de Jãofi, roteirista do Omelete que resolveu desenterrar o filme em seu Twitter, @joaofilimas, e a publicação conquistou 10 mil curtidas em pouco menos de dois dias de veiculação.

O tweet fez sucesso não só entre fãs de dramas/filmes coreanos e kpoppers, mas também entre o público geral devido ao sucesso de De Pernas pro Ar e a forte tendência do cinema coreano no país, causada pela aclamação que Parasita tem recebido desde o ano passado, tornando-se inclusive o primeiro filme sul-coreano da história a ser indicado a categoria de Melhor Filme no Oscar.


E agora que o João falou, não conseguimos parar de desejar uma versão brasileira de Parasita. O filme, com sua dura crítica a desigualdade social, combina perfeita e tristemente com a realidade do povo brasileiro, e ter Ingrid Guimarães no longa seria uma grande referência e homenagem a Cho Yeo Jeong.

Enquanto as produtoras nacionais não levam a sério os pedidos dos fãs, ficamos na torcida por uma maior valorização do cinema coreano e brasileiro, ambos possuidores de verdadeiras obras de arte, mas que nem sempre são consideradas pelo público e crítica. 

Veja também:

0 comentários