5 filmes coreanos com mães incríveis

by - 10 maio


As mães estão muito presentes nas narrativas coreanas: diversos filmes se dedicam a mostrar, seja no plano principal ou secundário, os dramas diários que enfrentam orgulhosamente para prover as melhores condições de vida a seus filhos, com um amor e determinação impossíveis de serem descritos em palavras

Pensando nisso, o Elfo Livre comemora esse Dia das Mães com cinco recomendações de filmes sul-coreanos com mães incríveis e histórias inspiradoras. Confira as dicas logo abaixo:


Mother (2009)

Digirido por Bong Joon Ho, esse filme de suspense traz Kim Hye Ja no papel principal, embora sua personagem não tenha nome: ela é chamada apenas de Mãe o drama inteiro, definida por sua maternidade e pelas montanhas que move por seu único filho, Dojoon (Won Bin), que tem 28 anos e deficiência mental.

Quando uma garota é encontrada morta nas redondezas, as circunstâncias colocam Dojoon na cadeia. Entretanto, a mãe acredita na inocência do filho e fará o impossível para provar que ele não tem culpa no caso, por mais que seja difícil enfrentar essa luta judicial com advogados incompetentes e pouco dinheiro.

O filme enfatiza o amor e a confiança da mãe em seu filho: todos podem dizer que ele é culpado, mas o extinto materno a leva a perceber que há muito mais por trás dessa história.


Hope (2013)

Definitivamente um dos filmes mais emocionantes da Coreia do Sul, Hope é inspirado na história de real de uma garota de oito anos que foi estuprada e na luta de seus pais pela punição do criminoso e pela recuperação da garota. 

Embora o filme seja mais focado no drama do pai em tentar reconquistar a confiança da garota, que está traumatizada e, portanto, evitando contato com qualquer outro homem, também é nítido o desespero de sua mãe.

A mulher inicia uma longa luta pelas melhores condições de vida para a filha, embora inicialmente seja difícil para ela entender algumas das novas necessidades recomendadas pelos médicos e psiquiatras. Ela precisa reaprender muitas coisas sobre o que será "uma vida normal" de agora em diante, e o filme não falha ao mostrar como os pais de vítimas de abuso infantil também são afetados


Cart (2014)

O filme se tornou mundialmente conhecido por ter D.O (integrante do EXO) em seu elenco, mas acabou conquistando seus espectadores pela profundidade e dramaticidade de sua história. 

A trama acompanha a história de diversas mulheres que trabalham nos caixas ou na equipe de limpeza de uma grande rede de supermercados. Quando descobrem que serão terceirizadas e demitidas, dão início a uma longa batalha sindical por seus direitos trabalhistas e melhores condições dentro do mercado.

As duas principais cabeças do protesto são mães que precisam de seus empregos para garantir o básico a seus filhos: Sun Hee é mãe de dois, enquanto Hyemi é uma mãe solteira. Ambas trabalham muito para garantir o sustento de suas famílias, e ter suas rendas ameaçadas farão elas descobrirem o tamanho e força de sua determinação e resiliência, mas também de sua maternidade. 


Train to Busan (2016)

Este filme coreano de zumbis foi um grande sucesso em todo mundo por trazer a mistura perfeita de drama e ação aos cinemas.

Sung Kyung, personagem de Jung Yoo Mi, é uma das mais interessantes da narrativa. Grávida, encontra o restante do elenco pela primeira vez no trem e, embora ainda não seja mãe, já sente uma amostra da maternidade ao se aproximar de Soo An, filha do protagonista Seok Woo (Gong Yoo).

Elas se conheceram no mesmo dia, mas os extintos maternos de Sung Kyung fazem as duas se afeiçoarem rapidamente, como se já se conhecessem há anos ou, até mesmo, como se fossem de fato mãe e filha. Juntas, percorrem de Seul a Busan na luta pela sobrevivência, cuidando uma da outra durante todo o percurso.


Parasite (2019)

Vencedor do Oscar de Melhor Filme, Parasite é um grande exemplo de união familiar: na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza, um sempre estará lá pelo outro. E as duas mães são grandes exemplos disso, ainda que cada uma a sua maneira. 

Choi Yeongyo (Cho Yeojung), a mãe rica, pode não ser muito boa em perceber seus privilégios, mas nem por isso deixa de prezar pela saúde mental e bem-estar de seu filho: ela está determinada a gastar quanto for preciso para trazer os melhores profissionais da educação e psicologia para cuidarem de seu filho, que demonstra certa instabilidade comportamental após um evento traumático em seu aniversário. Ela reconhece que as vezes exagera e o trata como um príncipe, mas mãe é mãe e, se isso significar a felicidade de sua criança, tudo será compensado. 

Park Choongsook (Jang Hyejin), a mãe pobre, não tem as mesmas condições de oferecer tudo de bom e de melhor aos seus filhos, mas está disposta até mesmo a encarar uma grande fraude ao lado de sua família se isso for pelo bem de todos. Ela constantemente parabeniza os esforços de seus filhos nessa luta por melhores condições de vida, e encara o verdadeiro desespero quando seus filhos são postos em perigo após um grande inconveniente que marca o ápice do filme (sem spoilers!). 


Qual sua mãe preferida dos filmes sul-coreanos?

Veja também:

0 comentários