99 Dias — Traição merece perdão?

by - 18 junho


Katie Cotugno escreveu 99 Dias - 1 Complicado Amor de Verão, romance do gênero Young Adult que chegou às livrarias brasileiras em janeiro de 2018 com publicação da Rocco Jovens Leitores e tradução por Débora Isidoro. Amado por uns, nem tanto por outros, é uma obra que levanta, dentre diversos questionamentos, a pergunta: traição merece perdão?

A história acompanha a vida de Molly Barlow, uma garota que traiu Patrick, seu namorado com o irmão dele, Game, mas optou por esconder a verdade e seguir com seu namoro como se nada tivesse acontecido. Sua mãe, escritora, transformou o sofrimento da filha em um livro best-seller que tornou pública a traição, colocando Molly no centro do bullying. 

Cansada dos julgamentos, a garota se muda para outra cidade para terminar o ensino médio, mas quando se forma ainda tem 99 dias para começar a faculdade e passa esse período volta à casa da mãe, onde se reencontra com pessoas que ainda não a perdoaram e o medo por nunca mais ser aceita naquele lugar em que um dia foi seu lar. Esse verão será ainda mais complicado quando novos sentimentos por Gabe começarem a surgir ao mesmo tempo em que percebe que o amor que sentia por Patrick ainda não acabou — e que ele também ainda pode sentir algo por ela.


A obra toda é narrada pelo ponto de vista de Molly, do ódio que passou a nutrir por sua mãe e do desespero por ver sua vida social sucumbindo. Entretanto, ao mesmo tempo em que tenta se reerguer e provar a todos que está arrependida do que fez no passado, se afunda ainda mais conforme suas novas ações em meio a um estranho triângulo amoroso a contradizem.

Para dar um ponto bem pessoal, acredito que a sua reação ao livro dependerá muito de sua opinião sobre o tema traição x perdão. Mesmo sendo literatura YA, de linguagem super acessível a juventude contemporânea e abordagens pertinentes a mesma, foi uma leitura muito difícil para mim, com a qual vivi uma relação de amor de o ódio ao longo de suas 384 páginas e mais de dois meses que levei para conseguir finalizá-las.


Em momento algum consegui me conectar com os protagonistas e seus dramas: apesar de idade semelhante, a falta de vivências semelhantes e a mente, confesso, um tanto fechada para o assunto, não me permitiu a empatia. Apoiei muito mais a personagem secundária, Tess, que desde o começo se mostrou sincera, verdadeira e gentil, mas foi constantemente apunhalada pelas ações daqueles que a diziam querer bem. 

Entretanto, como leitora assídua de Young Adults, entendo como esse incômodo que me foi causado pelos personagens também é algo pertinente do gênero: mais do que um livro juvenil, os YAs tem essa capacidade de te fazer enxergar o mundo por diversas perspectivas ainda imaturas e, portanto, inclináveis ao erro. Personagens de YA não devem ser perfeitos. Suas atitudes devem levar o leitor ao questionamento. Eles precisam errar para poderem amadurecer ao longo do livro. Tal como nós, na vida real. Esse é o poder do gênero — nos mostrar a verdade, por mais difícil de engolir que ela seja. 


O drama de Molly é descrito, ainda, pela expressão "um peso, duas medidas": uma traição não se faz sozinha, mas ela foi a única a enfrentar as reações negativas, carregando sozinha o peso da culpa enquanto, seja Gabe ou Patrick, seguiram com suas vidas. Essa visão enfatiza o machismo intrínseco da sociedade, com a mulher sempre sendo a mais prejudicada por um ato que não cometeu sozinha, e é isso que o livro tenta passar ao enfatizar no ponto de vista da protagonista, embora seu comportamento, principalmente na primeira metade da obra, seja exageradamente vitimista. O que melhora com o passar das páginas, mas ainda demora a acontecer. 

99 Dias: 1 Complicado Amor de Verão faz jus ao nome: com 99 capítulos, alguns de somente um parágrafo, outros com diversas páginas, narra o dia a dia da personagem de forma bastante dinâmica e criativa, mas seu "amor de verão" é tão complicado, com personagens constantemente tropeçando no mesmo erro e sendo tão egoístas que torna a leitura cansativa, e nem de longe um dos melhores YAs já escritos. Entretanto, sempre vale a pena ler para tirar suas próprias conclusões sobre a obra — quem sabe ela converse melhor com você do que comigo.

Comprando pelo link acima você estará ajudando o Elfo Livre.

Veja também:

2 comentários

  1. Amei a resenha. Li esse livro ano passado e não gostei tanto justamente por causa desse conflito de opinião hahaha mas é um livro interessante de ler. Daria 3/5 :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, obrigada por me entender! HAUAHUAH

      Achei interessante principalmente por mostrar o ponto do machismo, em como ela sofreu muito mais que os meninos, mas ela continuar errando no mesmo ponto de trair, trair de novo e ainda trair a confiança da única pessoa que a tratou bem... nossa, não me desceu essa personagem.

      Excluir