Irene & Seulgi: Monster e a representação de gêmeas obcecadas e feiticeiras

by - 27 julho


Irene e Seulgi, integrantes do Red Velvet, deram ao mundo aquilo que não sabíamos que precisávamos tanto: uma sub-unit entre as duas. O debut oficial aconteceu no começo de julho de 2020 com o lançamento do mini album Monster, que teve a faixa título promovida com um MV e performances em shows musicais semanais, mas chama a atenção principalmente pelo leque de interpretações que sua narrativa abre. 

O dueto traz o melhor da sensualidade e empoderamento das membros demasiadamente talentosas e belas: todas as suas mais incríveis características são colocadas em cheque, com uma maturidade que até mesmo chocou ao público com o lançamento de Monster, que traz alguns elementos do terror em seu clipe e coreografia, incorporados de modo a facilmente darem origem um grande sucesso de bilheterias, se estivéssemos nos cinemas. 

Assista ao MV de Monster para conferir toda a majestosidade dessa obra de arte:
 
Eu sou uma monstrinha, tenha medo de mim
Te incomodo, te fazendo sonhar apenas comigo
Vou dançar e fazer brincadeiras, enquanto enfeitiço
O seu corpo preso em um pesadelo
Eu sou uma monstrinha

Além das cenas de dança, o clipe traz uma historinha que permite diversas interpretações: a mais interessante delas talvez seja a do clichê da gêmea boa e da gêmea má ou, até mesmo, com inspiração no caso de June e Jennifer Gibbons, duas garotas do Reino Unido que ficaram conhecidas como As Gêmeas Silenciosas


Irene, com uma maquiagem mais suave que Seulgi, pode ser interpretada como a boazinha da história: aliás, ela é quem é perseguida por Seulgi no começo do clipe, além de ser Seulgi quem tem uma arma. O quarto delas é repleto de bonecas, como as utilizadas pelas peças criadas pelas Gêmeas Silenciosas da história real. 

Nas cenas de narrativa as duas garotas são retratadas como duas garotas que se vestem e se penteiam de formas semelhantes: se não são irmãs, ao menos tentam muito parecer uma com a outra. Não há de ser, entretanto, uma verdadeira irmandade de sangue, dada a tensão sexual que rola entre as garotas. São várias cenas do vídeo em que se tocam e insinuam beijos. Mas não é um simples desejo, é uma obsessão.


Na história das Gêmeas Gibbons, as garotas tinham um pacto que não falariam com ninguém exceto uma com a outra, até que uma delas morresse. Elas estavam presas, completamente dependentes uma da outra e, para que isso chegasse ao fim, uma delas teria que morrer. Jennifer foi a vítima. Mas quem aceitaria tal sacrifício dentro dessa unit e do contexto de Monster

O clipe não é fiel a história, trazendo diversos aspectos que apenas a lembram remotamente e, portanto, é uma pergunta difícil de responder e que pode ter duas respostas, dependendo da interpretação: ou Seulgi delas já morreu e segue perseguindo Irene, como um peso na consciência, ou Irene se prepara para o sacrifício, permitindo que Seulgi a mate com sua arma — e por isso Seulgi acende uma vela próximo ao fim do vídeo. 


Saindo do âmbito das gêmeas, outra teoria que cabe a Monster é a da feitiçaria: tudo no clipe não passa de um pesadelo que as meninas estão tendo após terem sido enfeitiçadas uma pela outra, ainda que sem más intenções, unicamente como uma provocação para provarem do que são capazes. Irene não quer que Seulgi tente ser um monstro como ela, e por isso a coloca para dormir. 

A letra falada, principalmente em harmonia com a coreografia, é quase como se estivessem lançado feitiços uma contra a outra e também contra o público. Faz total sentido ao relacionar-se ainda à letra, "enquanto enfeitiço / o seu corpo preso em um pesadelo", são monstras/feiticeiras que querem provar seu valor, seu poder, que querem ser temidas. 


Veja, estou apenas brincando
Sem más intenções
Sou pequena, mas perigosa
Quem me recusaria?
É hora do amanhecer vermelho
Agora que você está aliviado
Pode tentar escapar desse sonho
Mas monstros vivem para sempre

Seja lá qual for a sua interpretação do clipe, uma coisa é universal: o talento de Irene e Seulgi. As meninas entregaram um grande e incrível projeto visual, sonoro e coreografado por meio de Monster, e já deixou o mundo ansioso para conferir os próximos passos das garotas — seja na sub-unit ou ao lado de Wendy, Joy e Yeri nas atividades do Red Velvet. 

Tradução da música: Letras

Veja também:

0 comentários