Resenha | A Noiva Fantasma: uma leitura de romance, tradição e libertação

by - 07 dezembro

Resenha | A Noiva Fantasma: uma leitura de romance, tradição e libertação

Descendente de malaios, Yangsze Choo estreia na literatura com A Noiva Fantasma, seu primeiro romance que chega com uma grande grande representatividade cultural em uma viagem pela realidade das noivas fantasmas, tradição ainda vigente na China. A obra foi publicada no Brasil em 2015 pela Darkside com tradução de Leandro Durazzo. 

Ambientado em 1893, o livro acompanha a jovem Li Lan que recentemente recebeu a proposta de se tornar uma noiva fantasma. A união entre ela e um falecido herdeiro levaria sua família falida de volta à elite, mas a infelicidade da possibilidade de um casamento sem amor a assombra. Na tentativa de se livrar de seu destino, Li Lan desafia os limites entre a vida e a morte. 

Resenha | A Noiva Fantasma: uma leitura de romance, tradição e libertação

A narrativa fantástica é quase um conto de fadas (sem fadas) sobre uma jovem heroína que recusa ter sua vida comandada por terceiros e lutará pela própria liberdade, encarando todos os riscos não só de uma sociedade conservadora, mas do submundo ao se aproximar de espíritos, divindades e dos perigos que brincar com a s(m)orte oferecem.

Seu enredo é, portanto, permeado ainda por uma série de elementos sombrios que dão um ar de suspense que eleva a tensão da obra e, consequentemente, o interesse do leitor em consumi-la de imediato, sedento por saber o que vem a seguir, mas o melhor disso é, sem dúvidas, como todo este universo sobrenatural é parte da cultura malaia.

Resenha | A Noiva Fantasma: uma leitura de romance, tradição e libertação

Em todo o livro é abordada a crença chinesa sobre o Além e suas tradições fúnebres, incluindo a queima de objetos de papel e dinheiro falso em oferenda ao falecido, que poderá ter mais fartura em seu pós-morte. É uma percepção bastante diferente da ocidental marcada pelas diferenças religiosas: enquanto nossas influências são muito cristãs, por lá as noções budistas são mais populares. 

Isso sem contar os casamentos fantasmas, tradição de origens remotas que até hoje existe na China. Dentre as principais motivações encontram-se a o conservadorismo que rejeita mulheres solteiras, a realização de desejos de homens que morreram antes do matrimônio ou, mais popularmente, a continuidade de uma linhagem familiar, casando um herdeiro morto a uma noiva fantasma para que o nome da família continue a existir. Em troca, um dote é oferecido à família da noiva. 

Resenha | A Noiva Fantasma: uma leitura de romance, tradição e libertação

Por meio da escrita moderna da autora e do roteiro dramático de A Noiva Fantasma, podemos aprender muito sobre tais tradições complexas e interessantíssimas ao mesmo tempo em que nos entretemos com uma ótima história de fantasia, amor e libertação. Sem igual, é com certeza uma leitura que vale a pena ser realizada.

Ao adquirir o livro pelo link acima você ajuda o Elfo Livre a se manter no ar 

Veja também:

0 comentários