Kentaro Hiyama: O Homem Que Engravidou leva crítica e entretenimento à Netflix (com spoilers)

01 maio

Kentaro Hiyama: O Homem Que Engravidou leva crítica e entretenimento à Netflix (com spoilers)

Lançada na Netflix em 21 de abril de 2022, Kentaro Hiyama: O Homem Que Engravidou (He's Expecting) é uma série japonesa de oito episódios com base no mangá Kentaro Hiyama, de Eri Sakai. A direção é de Kikuchi Takeo e Hakota Yuko, com roteiro de Amano Chihiro, Yamada Yoshitatsu e Sode Yukiko.

A produção de drama e ficção é situada em uma realidade na qual homens cis também podem engravidar e dar à luz. No entanto, ainda há muito preconceito acerca da gravidez masculina: para não chamar atenção e evitar comentários negativos, muitos escolhem viver isolados ou optam pelo aborto. Até Kentaro Hiyama.

Kentaro é um publicitário solteiro que acabou de descobrir que está gravido e a mãe da criança é Aki, a redatora freelancer com quem dormiu algumas vezes. Sua carreira em ascensão na publicidade começa a ruir enquanto ele lida com sua gravidez, ainda indeciso entre ter ou não este bebê, já que nem ele nem Aki esperavam ser pais. 

Kentaro Hiyama: O Homem Que Engravidou leva crítica e entretenimento à Netflix (com spoilers)

Como ainda é pouco falado sobre a masculinidade masculina, decide criar uma comunidade on-line que se transforma em uma rede de apoio entre pais que buscam compartilhar e encontrar conhecimento sobre o assunto e, aos poucos, o assunto começa a ganhar a mídia japonesa, derrubando aos poucos o preconceito da sociedade contra os homens que engravidam. 

Como série, Kentaro Hiyama: O Homem Que Engravidou mostra a inversão de papéis de gênero em forma de crítica, colocando os homens cis em situações que já fazem parte da vida das mulheres cis desde que o mundo é mundo, de cólicas e vazamentos ao modo como uma gravidez afeta sua vida profissional. 

No entanto, a série não deixa de provar que homens grávidos continuam sendo homens, com toda sua visão e posição privilegiada. É muito fácil conseguir uma permissão médica para abortar uma gravidez masculina, sendo oferecida antes mesmo que o gestante precise pedir, enquanto mulheres lutaram por décadas por este direito — e ainda não chegamos lá. 

Kentaro Hiyama: O Homem Que Engravidou leva crítica e entretenimento à Netflix (com spoilers)

Ao mesmo momento em que lutam contra o preconceito que sofrem, há várias cenas em que os homens grávidos reproduzem ideias machistas, como exigir de suas companheiras que elas abandonem seus trabalhos para cuidar do bebê após o parto, já que este "é o trabalho da mãe", e não do pai, independente de quem tenha parido a criança.

Felizmente, as personagens femininas que entram em cena em Kentaro Hiyama: O Homem Que Engravidou são mulheres fortes que rebatem os comentários que escutam e não permitem que os homens se vitimizem excessivamente por algo que por anos elas sofreram sem ter apoio em suas reclamações já que "faz parte da natureza feminina". Ter esses dois pontos de vista foi essencial para que a série entregasse sua mensagem. 

Apesar de ser uma série de drama, Kentaro Hiyama: O Homem Que Engravidou também tem alguns momentos cômicos, principalmente em seus primeiros episódios, quando Kentaro ainda está aprendendo a lidar com as primeiras dificuldades de sua gravidez. No entanto, em nenhum momento a série tira sarro disso ou busca colocar a gravidez masculina como algo bizarro, tratando sempre com naturalidade e esperteza para equilibrar crítica e entretenimento. E foi muito certeira em sua decisão. 


Leia também:

0 Comentários:

Assista no YouTube