Resistência: um retrato sensível de crueldade e esperança

by - junho 08, 2019


Na Segunda Guerra Mundial, gêmeos eram submetidos a experimentos em Auschwitz e a história de duas sobreviventes, Eva e Miriam Mozes, inspiraram a autora americana Affinity Konar a escrever com muita pesquisa, mas ainda com liberdade, uma perturbadora e angustiante história para nos lembrar de quão desumana a humanidade consegue ser.

Neste romance/novela de ficção histórica, apresentam-se as protagonistas Pearl e Stasha: gêmeas mischling - palavra em alemão para "mestiço", mas com conotação pejorativa, utilizada por nazistas para designar filhos de judeus com alemães - que foram levadas como cobaias de Josef Mengele, médico nazista que ganhou o apelido de Todesenge, "O Anjo da Morte", por sua crueldade.


Embora fisicamente indistinguíveis, mora no interior de cada uma suas individualidades que, até então, não haviam sido amadurecidas o suficiente, tamanha a relação de interdependência entre elas que conseguem, até mesmo, completar as frases uma da outra ou sentir as dores de sua vizinha de útero. Pearl, mais velha por 10 minutos, é abertamente descrita como a cabeça da dupla, muito rápida, esperta e cheia de habilidades surpreendentes, enquanto os dotes de Stasha se resumem a sua criatividade, vivendo sempre a sombra da irmã mas sem se incomodar muito com isso, embora a inveja do brilho alheio. 

Segundo trecho retirado da sinopse oficial da obra, "Em uma jornada perigosa, elas encontrarão muita hostilidade, a companhia dos refugiados e a luta da resistência, em busca de que algo melhor, além do horror que seus olhos testemunham, lhes permita um futuro em paz. Inspirado nas histórias reais dos experimentos feitos pelos nazistas nos campos de concentração, Resistência já é um best-seller e um novo clássico, dos que nos permitem sonhar com um mundo melhor." 


Mesmo com liberdades tomadas pela autora quanto a história das irmãs Mozes, incluindo até mesmo a mudança de seus nomes para dar vida própria a suas personagens, o livro é um fiel e pesado retrato do holocausto e uma verdadeira mensagem de esperança, inspiração e memória para que jamais permitamos que tais barbaridades voltem a acontecer em nosso planeta.

A descrição das personagens no livro é muito delicada: as irmãs intercalam a narração a cada capítulo, nos permitindo conhecer um pouco mais de cada uma delas, de suas intenções no chamado Zoológico de Mengele e de seus sentimentos uma pela outra, enquanto as circunstâncias as obram a se separarem e individualizarem, mas continuam unidas em seus corações.


No início de sua puberdade, as gêmeas começam a despontar ainda as primeiras relações amorosas entre as grades do campo de concentração, com a beleza do romance roubada pelo nazismo. Surgem relações tênues e regadas pelo desejo de sobrevivência delas por si mesmas e por sua igual, enquanto aprendem a confiar em um terceiro indivíduo pela primeira vez em muito tempo, demonstrando certo amadurecimento - ainda que por péssimas motivações. 

A obra apresenta, ainda, a importância da fantasia e da imaginação para a sobrevivência, ressaltando como a criatividade de Stasha, guiada pela inocência e o amor por sua irmã, foi a principal arma da garota ao longo dos anos em que viveu em Auschwitz, embora não soubesse disso na época. Mesmo sua irmã, que sempre foi mais realista, precisou tomar um gole de esperança e positivismo para aguentar as atrocidades a qual eram submetidas, assim como os demais personagens que rodeiam o enredo muito bem costurado. 


O livro é de uma temática muito sensível e tensa, mas a leitura não é cansativa: a boa narrativa de Konar e sua habilidade de apresentar o passado, o presente e as esperanças para o futuro mesmo em uma narrativa em primeira pessoa nos dão uma ampla percepção da obra que só colabora com o seu entendimento e proveito, tornando a leitura prazerosa, ainda que carregada de violência em sua forma nua e crua, sob o ponto de vista infantil.

Com pouco mais de 300 páginas, Resistência foi publicado originalmente em 2016 e um ano mais tarde no Brasil pela Fábrica231, selo da Editora Rocco e com tradução de Alyda Sauer, a obra pode ter seu primeiro capítulo lido gratuitamente e on-line por este link.

Veja também:

0 comentários