Conectadas, uma obra sobre gamers, mentiras e amor

by - 14 junho


Escrito por Clara Alves, brasileira formada em jornalismo e vencedora do prêmio Wattys 2016, o livro Conectadas foi publicado pela Editora Seguinte em 2019 e, do gênero Young Adult, conta uma linda história de amor virtual que nasceu em um jogo virtual. "Ser uma garota gamer não é fácil. Principalmente quando um romance está em jogo", já diz a sinopse da obra na Amazon

A trama acompanha Raíssa e Ayla, que se conheceram no jogo Feéricos e desenvolvem uma conexão muito profunda, ainda que a distância. O problema é que Raíssa usa um avatar masculino e nunca conseguiu dizer para Ayla que ela é uma garota, e agora que elas estão prestes a se conhecer pessoalmente em um evento de games a mentira vira uma grande bola de neve.

Algumas perguntas regam toda a tensão da narrativa: Como e quando será que Raíssa irá contar a verdade? Como Ayla irá reagir ao descobrir que a pessoa por quem estava apaixonada não é um menino chamado Leo, mas sim uma garota de nome Raíssa? E o pior, como ela irá reagir ao descobrir que esse tempo todo estava sendo enganada?


Clara Alves fez um trabalho impecável ao brincar com as emoções do público ao longo das 320 páginas: as vezes a ansiedade para descobrir logo o desfecho do casal é tanta que dá vontade de comer algumas partes da obra, mas não faça isso! Cada parágrafo é de extrema importância para construir o impacto que os capítulos finais terão no emocional do leitor. Cada palavra é essencial para a experiência única que é devorar Conectadas

Como alguém que mora no interior de São Paulo, ter personagens de Sorocaba (minha cidade!) e de Campinas no livro ajudou a me sentir mais próxima da realidade do livro, o que também foi possível graças ao evento de games em São Paulo que em muito me lembrou minhas aventuras pela CCXP e, tal como elas, a vontade de conhecer o bairro da Liberdade, desejo muito comum entre os geeks/otakus do interior do estado.  

Senti uma conexão muito íntima com a Ayla e, por já ter sido vítima da mesma mentira, confesso ter torcido contra a Raíssa em alguns momentos. Embora seja compreensível se esconder em um avatar masculino para fugir do machismo do mundo gamer, uma das entrelinhas de Conectadas, continuar mentindo após desenvolver uma relação especial com alguém não foi lá uma das melhores atitudes dela, porém fundamental.


Contraditório, mas a real é que essa mentira toda é a base da história, completamente necessária para desenvolver a trama e, sinceramente, estamos falando de um YA, atitudes irresponsáveis reinam no mundo jovem! Não tem como fazer um Young Adult com personagens perfeitinhos. O bom do gênero é mostrar como podemos aprender com os nossos erros, e isso rende um ótimo arco de redenção para a Raíssa. SEM SPOILERS!

Super atual, a trama também traz alguns "prints" de conversas entre as personagens, totalmente estilizado para de fato lembrar um aplicativo de bate-papo. Ver as plataformas celular x livro (ainda que em e-book) conversando entre si, e não sendo tratados como inimigos mortais, é de fato algo louvável. Pra que rivalizar o que pode ser conectado? 

Conectadas é, portanto, um ótimo exemplo de um YA de qualidade: com todas as imperfeições que tornam a obra perfeita, foi uma das leituras mais agradáveis, fluídas, sinceras, atuais e empolgantes que tive em tempos e, se esse blog utilizasse sistema de estrelas para avaliar livros, com certeza seria premiado com cinco delas. ★★★★★

Comprando pelo link acima você estará ajudando o Elfo Livre.

Veja também:

0 comentários