Resenha | Goedam conta lendas urbanas coreanas em drama Original Netflix

by - 22 agosto


Chegou à Netflix em 20 de agosto o drama coreano Goedam (괴담), uma minissérie antológica de terror que busca apresentar lendas urbanas da Coreia do Sul por meio de narrativas não-lineares e curtas, mas muito ricas no folclore do país. A produção é original da plataforma de streaming, que tem investido cada vez mais em agregar novidades coreanas ao seu catálogo mundial.

Lendas urbanas são histórias assustadoras de origem popular, passadas de boca a boca por gerações e, mais recentemente, sendo disseminadas também em livros e na internet. Algumas, como a Loira do Banheiro (ou Bloody Mary) são adaptadas e conhecidas em todo o mundo, mas também há contos regionais e são nos coreanos que surge o roteiro de Goedam.

Assista ao trailer legendado:


Tal como os contos de fadas, algumas lendas trazem lições de moral: seu caráter fabuloso usa do medo instaurado em suas narrativas para conscientizar jovens sobre os perigos do mundo ou para transmitir certa autoridade, como não matar aula, não mentir e sempre respeitar as superstições e talismãs, como o bujeok (부적). Tudo isso é muito presente no drama.

Uma das histórias presentes envolve a crença popular O Dia Sem Sohn (손 없는날): Sohn é um espírito malvado que perambula o país de cima a baixo trazendo desgraça às pessoas. Quem acredita na superstição não recomenda que mudanças aconteçam nos dias em que ele está na Terra, e há até um calendário coreano para acompanhar as datas!


Uma história remete a lendas antigas e locais de desaparecimentos de crianças, enquanto outra, mais recente, toma o ritual do elevador (sim, aquele que te leva para "outra dimensão" e viralizou na internet anos atrás) como centro da narrativa. É interessante ver as adaptações e reimaginações de lendas de diferentes épocas e, ao público ocidental, que não sabe muito do folclore coreano, toma-se como aula por passar a conhecê-lo através de Goedam.

Por se tratar de uma antologia os episódios não são contínuos, podendo ser assistidos em qualquer ordem que seu entendimento não será acometido. Em teoria. Na prática, todas as narrativas de Goedam aparentam se passar no mesmo universo e estão de certa forma conectadas, dada a recorrência da mesma escola, de algumas alunas e da professora, por exemplo. 


Os cortes bruscos, bem típicos de filmes de terror, são utilizados para aumentar o efeito de susto da produção que, por si só, não é lá essas coisas. Pesquisar sobre as histórias originais mais a fundo dá mais medo que assistir à série  — e digo isso com toda a sinceridade de uma experiência própria, ainda mais por ter sido feita de madrugada.

A primeira temporada de Goedam já está disponível na Netflix: são apenas oito episódios que podem ser vistos em menos de uma hora e meia, garantindo uma maratona de final de semana perfeita que, além de entreter, te guia a novos conhecimentos quanto às narrativas folclóricas coreanas. 

Veja também:

0 comentários