Break the Silence: uma reflexão sobre o BTS e suas personas

by - 29 outubro


Estreou nesta quinta-feira (2) nos cinemas brasileiros o filme Break the Silence, terceiro documentário — e quarto filme geral — lançado pelo grupo sul-coreano BTS. Com o subtítulo de Persona, tal como o álbum de 2019 que trouxe ao mundo o hino Boy With Luv, o filme explora o psicológico dos integrantes para entender quem eles são, quem são suas personas e como elas se mesclam. 

Persona, em resumo, é um personagem. Mesmo que inconscientemente nós, seres humanos, criamos personas de nós mesmos que nos ajudam a sobreviver em sociedade. Por exemplo: você não conversa com seus pais da mesma forma que fala com seus amigos, ou seu comportamento em casa é diferente da pose assumida na escola ou ambiente profissional. Cada contexto social exige um "eu", e cada uma dessas facetas é uma persona. 


O conceito fica mais nítido nos artistas que, muitas vezes, como Kim Taehyung, possuem um nome para sua persona frente às câmeras, um stage name — no caso, V. V não existiria sem Kim Taehyung, mas até qual ponto, após anos de convívio com sua persona, Kim Taehyung também existiria sem V? Pergunta que vale para todos os outros seis integrantes — e, por que não, para nós também. 

É neste ponto de encontro entre pessoa e persona que Break the Silence "quebra o silêncio", de fato. Os rapazes do BTS são convidados a olharem o mais fundo de si para descobrirem sua verdadeira identidade e em qual momento ela se confunde com as personas criadas lá em 2013, ao debut do grupo e o início de uma necessidade ainda maior de se manter uma imagem pública separada da sua imagem privada. Mas, novamente, até que ponto isso é possível? 

O filme segue em cartaz nos cinemas brasileiros por tempo indeterminado.

Enquanto mostra os bastidores da mais recente turnê do BTS, Love Yourself: Speak Yourself, que passou por São Paulo ao fim de maio de 2019, o cineasta Park Junsoo dirige ainda uma turnê pelo interior de cada um dos sete membros do sucesso musical, permitindo ao público um olhar mais íntimo em Kim Namjoom, Kim Seokjin, Min Yoongi, Jung Hoseok, Park Jimin, Kim Taehyung e Jeon Jungkook, mais do que em RM, Jin, Suga, J-HOPE, Jimin, V e Jungkook, que já conhecemos nos mínimos detalhes. 

Por este motivo o filme é, ainda, o mais emocionante dentre os já lançados pelo grupo. Se você é ARMY, dificilmente não sentirá a formação das lágrimas conforme os meninos abrem o coração de forma tão verdadeira e, literalmente, de cara lavada. Sempre vemos as ambições e conquistas do BTS, mas este filme foca nos obstáculos e receios que eles tanto tentam ocultar por meio de suas personas públicas. É o lado humano lutando para sobreviver em meio a superficial perfeição desta fábrica de idols chamada k-pop.

Veja também:

0 comentários