Casa Azul responde petições contra o k-drama Snowdrop

by - 28 julho

Casa Azul responde petições contra o k-drama Snowdrop

O drama sul-coreano Snowdrop ainda nem estreou, mas já está dando o que falar: após suspeitas de que o roteiro poderia satirizar o Movimento Democrático Sul-Coreano, importante feito da história do país, internautas criaram uma petição pedindo boicote à nova série e, agora, foi divulgada a resposta oficial da Casa Azul, escritório executivo e residência do presidente coreano. 

O Elfo Livre traduz a declaração a partir do inglês do site Soompi:

Esta é uma resposta às duas petições nacionais relacionadas aos “pedidos para suspender a transmissão de um drama”.

Na petição "Suspensão da transmissão de Joseon Exorcist", o peticionário afirmou que o drama distorceu a história e consistia em conteúdo e cenas que sugerem uma aceitação do Projeto Nordeste da China e solicitou que a transmissão fosse suspensa e impedida de se repetir. Aproximadamente 240.000 cidadãos assinaram a petição.

O peticionário na petição intitulada "Suspensão da filmagem de Snowdrop" declarou: "É um insulto ao movimento democrático e a tentativa de glorificar a Agência para o Planejamento de Segurança Nacional (NSP)" e pediu para interromper a filmagem do drama. Aproximadamente 220.000 cidadãos assinaram a petição.

Em 26 de março, a emissora que exibiu Joseon Exorcist decidiu cancelar a transmissão do drama após considerar a gravidade da distorção dos fatos históricos. A emissora que vai transmitir Snowdrop declarou: "A atual polêmica resultou de informações fragmentadas, como uma sinopse incompleta e partes das descrições dos personagens", e que "não é um drama que deprecia o movimento pró-democracia ou exalta ser um espião ou trabalhar para o NSP". O drama está em produção.

O artigo 4 da Lei de Radiodifusão garante a liberdade e independência da emissora de programação de transmissão e afirma que não é possível regulamentar ou interferir na programação de transmissão sem cumprir as condições estabelecidas pela Lei. O envolvimento direto do governo no trabalho criativo requer especialmente uma abordagem cuidadosa, pois pode ser uma violação da liberdade de expressão. O governo respeita os esforços de autocorreção e as decisões autônomas tomadas em nível civil pelo criador, produtor ou consumidor em relação a conteúdo que vai contra o sentimento nacional.

No entanto, as transmissões que minam a responsabilidade pública das transmissões ou violam os regulamentos, como por distorção excessiva da história, requerem deliberação da Comissão de Padrões de Comunicações da Coreia (KCSC). De acordo com o escritório administrativo do KCSC, cerca de 5.000 reclamações foram feitas pelos telespectadores em relação aos já transmitidos episódios de Joseon Exorcist. Devido a atrasos na formação dos membros do quinto KCSC, uma revisão ainda não foi realizada, mas assim que o comitê for formado, definiremos uma agenda e discutiremos se o drama violou ou não os regulamentos de transmissão. O KCSC analisará minuciosamente a imparcialidade da transmissão, a natureza pública e outros fatores de responsabilidade pública por meio das reclamações enviadas pelos telespectadores e monitoramento posterior.

Seguindo em frente, o governo continuará a se comunicar com os criadores de cultura e arte, bem como com os cidadãos, para que várias discussões sobre o trabalho criativo possam ocorrer de maneira saudável.

Agradecemos a todos os cidadãos que participaram nas petições nacionais.

Em resumo, o governo sul-coreano não impedirá a produção e exibição de Snowdrop que, segundo defesa da emissora JTBC, não faltará com respeito à história coreana. Anteriormente, em comunicado, a rede televisiva já havia afirmado que os boatos sobre depreciação à história no roteiro de Snowdrop eram falsas e infundadas, visto que poucas informações oficiais sobre o drama haviam sido divulgadas até o momento. 

Para entender melhor os boicotes a Snowdrop e a resposta da JTBC, leia também o artigo Snowdrop: drama de Jisoo e Haein está sendo boicotado na Coreia.

Veja também:

0 comentários